Eu e minhas manias de volta às aulas

back-to-school-40597_1280Pode me chamar de maluca, esquisita, estranha, o que for, porque realmente soa assim, mas eu A-M-O início de ano letivo. Exato, essa semana de fim de férias, que muita gente encara com um clima depressivo, pra mim é super animada e eu fico na maior expectativa para começarem as aulas.

Sempre achei que o primeiro dia de aula tem uma magia diferente. É a época mais legal do ano e , sim, é melhor do que a última semana.

Uma das coisas mais legais do primeiro dia é descobrir em que turma você ficou. Na minha escola, as turmas mudam todo ano   , e é no primeiro dia que a gente descobre se ficou na turma dos nossos amigos. Porém, esse ano, pra mim, vai ser mais especial ainda. Porque é meu último primeiro dia de aula na escola.

Pois é, estou no último ano do ensino médio e ainda não decidi se isso é bom ou ruim. Mas aproveitei a semana de fim de férias para contar pra vocês algumas das minhas manias de volta às aulas.

  • Minha agenda:

Desde os meus 12 anos eu tenho uma espécie de ritual no que diz respeito a agendas. Todo ano, em janeiro eu saio à caça da agenda perfeita. E eu sempre compro a que me conquista. Tenho um sério caso de amor com as minhas agendas. Não consigo usar celular para essas coisas. Para mim, datas importantes e compromissos são à moda antiga: papel e caneta.

E uma das minhas maiores diversões é preencher a parte inicial da agenda. Exatamente, a parte onde você coloca o nome, endereço, telefone etc. Acho muito divertido preencher os dados no início do ano. Pode parecer idiota, mas na minha cabeça faz sentido e acho que é algo que vou levar comigo pro resto da vida.

 

  • Lápis, canetas, cadernos, canetas coloridas, acho que vou falir:

Tenho um sério e problemático vício em coisas de papelaria. Canetinhas coloridas, caderninhos cheios de fofurices e tudo o que for diferente sempre me deixam excessivamente apaixonada. Essa é uma época do ano em que eu normalmente gasto tempo e dinheiro demais em lojas como Kalunga, Magal, Saraiva, Casa Cruz, etc.

 

  • Esse ano eu me organizo:

Acho(espero) que essa não é uma mania só minha. Eu sempre começo o ano letivo prometendo ser uma aluna exemplar com os cadernos super hiper mega ultra organizados e coloridinhos. Mas acho que também não sou a única que acaba quebrando a promessa já em abril/ maio… Sou?!

Quando chega a época das primeiras provas eu assumo que não estou mais nem aí para a organização dos meus cadernos. Acabo sempre arrancando folha, copiando no caderno errado, enfim, vira uma zona…

 

  • Etiquetas e nome em tudo:

Costume de escola primária que acabou virando mania. Minha mãe sempre botou nome em todos os meus cadernos, livros etc. E hoje eu acho super legal fazer etiquetas criativas no Word imprimir e colar em todo o material escolar…

 

  • Letra de música na contra capa:

Essa não é bem uma mania de volta às aulas. Mas algo que eu faço durante todo o ano letivo. Minhas playlists vão parar nos meus cadernos. Escrevo trechos das minhas músicas favoritas durante o ano todo e lá pra dezembro é legal ler e lembrar o porquê daquelas músicas. Fora que fica colorido e a contra capa fica super legal.

 

Bom galera, essas são 5 das minhas manias de volta às aulas. Se você também tem alguma mania nessa época conta aqui! Adoro saber a opinião de vocês. Mil beijos e bom começo de ano letivo gente!

 

Bruna Paiva

A lição que vem das crianças

kids-143022_1280

“Agora, bata nela”. Como você reagiria a uma ordem dessas? Bom, um vídeo gravado na Itália mostrou a reação de alguns meninos à essa frase.

A cada um dos meninos é apresentada a mesma garota, e no meio de várias ordens como “faça carinho nela” ou “faça uma careta” as crianças são surpreendidas por um “agora, bata nela”. A reação deles é unânime e faz a gente realmente parar pra refletir. Todos os meninos se recusam a cumprir a ordem com uma indignação no olhar.

O vídeo é uma campanha contra a violência à mulher e foi viralizado nos últimos meses. O que é mais legal ainda é que uma empresa de entretenimento indiana resolveu fazer uma resposta à ele.

No vídeo indiano, a situação é invertida. Meninas recebem a ordem de bater em um garoto. E o resultado é parecido com o primeiro vídeo. As crianças são unânimes contra a agressão.

A moral da história é que, no mundo das crianças, ninguém quer bater em ninguém. A violência gratuita não é algo normal para elas. E isso me fez realmente refletir sobre por que a violência está tão presente no nosso mundo… Por que ela foi tão naturalizada?

Por que é que as pessoas se matam por brigas de trânsito? Ciúmes, mal entendidos, dinheiro, tudo tem virado “motivo” para violência. Mas será que ela realmente tem motivo?

A pureza e inocência dessas crianças provam que o mundo podia ser um lugar bem melhor do que é hoje em dia. E assistindo a esse tipo de coisa eu só tenho mais certeza de subestimamos o quanto temos a aprender com as crianças.

Assistam aos vídeos aqui e tirem suas próprias conclusões:

 

 

Bruna Paiva

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Meu IPhone, minha vida

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Estou pra ver um adolescente que não goste de ter o mundo nas mãos como o século XXI tem nos proporcionado. De repente, todos os artefatos que meus pais viram começar, cada um com sua função, foram substituídos por um único e pequeno aparelho.

Os Smartphones estão nas mãos de todos, e a invenção da minha época contagia também as gerações anteriores. Minha avó de 69 anos não larga o aparelho desde que descobriu que pode perguntar o que quiser pra ele e obterá sua resposta clara e rapidamente.

Há algum tempo, eu achei um saco quando meus pais resolveram que era absolutamente proibido usar o celular à mesa, durante as refeições. Mas juro que de um tempo para cá tenho começado a entendê-los.

Já tentou conversar com alguém que não tira o olho do telefone? É insuportável. Ok, ok, não sejamos hipócritas, Bruna… É óbvio que já fiz e ainda faço muito isso. Mas o que andei percebendo é que minha geração carrega consigo uma síndrome do “meu Iphone, minha vida”.

E essa frase é literal. Duvida? Pergunte a jovens entre 12 e 25 anos (a faixa etária é maior, mas vamos nos restringir a essa) qual a importância que o celular tem em suas vidas. Eu garanto que, pensando muito pequeno, pelo menos 80%das respostas (e eu me incluo no percentual) serão “minha vida está aqui dentro”. Você com certeza já ouviu, ou pronunciou, essa frase.

O que me preocupa é que as pessoas realmente acreditam que sua vida está toda dentro do smartphone. Caramba, eu também sou louca por tecnologia, twitter é meu maior vício, snapchat, nem se fala, whatsapp é 24 horas e, quando eu não tenho o que fazer, passo horas no Youtube. Mas realmente acho que vale muito mais a pena sair com seus amigos pra jogar conversa fora do que fazer isso por mensagem de texto.

Minha mãe vive falando que minha geração não sabe dar telefonema. E é verdade. Preferimos escrever pequenas mensagens e esperar horas até sermos respondidos a ligar e ter a resposta imediata.

Olho no olho não tem preço e conversa virtual não substitui convivência. O melhor momento de um passeio ou um encontro não pode ser aquele em que a gente resolve tirar uma “selfie” para postar.

É ótimo saber que o mundo hoje cabe no bolso da minha calça jeans. Mas também seria legal poder conversar com um amigo sem que ele cheque o que há de novo na internet a cada cinco minutos.

Não é possível que tenhamos regredido tanto a ponto de realmente acreditar que nossas vidas estão dentro de nossos celulares. Se o “meu Iphone, minha vida” é o presente da minha geração, eu sinceramente tenho medo do que ainda vem por aí…

Bruna Paiva

 

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Top 5- as melhores músicas da Taylor Swift

http://www.billboard.com/files/styles/promo_650/public/media/taylor-swift-2014-sarah-barlow-billboard-650.jpg

A Taylor Swift tem sido uma das maiores divas da geração dela. E o Top 5 de hoje é com essa cantora americana que tem letras que parecem ter sido feitas pra mim e melodias que não saem da sua cabeça… Além das letras maravilhosas, cada clipe da Taylor é mais surpreendente do que o outro.

Então estão aí as 5 músicas que eu mais gosto da Tay:

1- Fifteen

Você já quis voltar no tempo e conversar com uma você mais jovem para impedi-la de cometer alguns erros que a fizeram sofrer? Fifteen fala sobre isso. A Taylor conta como ela se sentia aos 15 e eu me identifico com muita coisa da letra…

 2- Shake It Off

Em Shake It Off a linda da Tay resolve que não vale a pena ligar pro que os outros pensam. Afinal, quem ama te odiar vai continuar criticando tudo o que você faz, e não há necessidade de escutar esse tipo de gente. Fora que o clipe é cheio de dança e eu já gosto pouco, né?

 3- Blank Space

O clipe da namorada maluca é um dos melhores da cantora até hoje. Blank Space fala de um romance com início, meio e um fim meio trágico já que a garota é super ciumenta!

 4- Love Story

Como o título já diz, é bem diferente do item anterior. Um amor que como nos contos de fadas tem um final feliz. Love Story é tema de um dos meus filmes prediletos: Cartas Para Julieta!

5- We Are Never Ever Getting Back Together

A Taylor tem fama de escrever uma música para cada ex-namorado. E ainda bem que ela tem muitos! haha We Are Never Ever Getting Back Together conta a história de uma garota que não quer voltar com o ex de jeito nenhum. E gruda na cabeça, viu?

 

E você? Curte Taylor Swift? Qual seria o seu Top 5 da cantora?

Beijos,

Bruna Paiva

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Um livro para te fazer sonhar alto

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

 

Sonhos. Sempre achei interessante o mistério por trás de nossos devaneios noturnos. Já até escrevi aqui sobre alguns estranhos que tive. Mas qualquer que fosse meu grau de interesse pelos meus sonhos, o livro “Sonhei que amava você” da Tammy Luciano o aumentou significativamente.

Kira é uma menina de 22 anos, dona de loja, carioca e moradora do Recreio. Ela leva uma vida normal até que começa a ter sonhos diferentes. Ela sonha com um rapaz que nunca viu na vida. E toda noite se encontram durante o sono.

Com a frequência desses estranhos encontros, a garota começa a se apaixonar pelo, literalmente, cara dos seus sonhos. O que ela não imagina é que, depois de um acidente de ônibus, Felipe passaria a fazer parte não só dos sonhos, mas também de seu mundo real.

Uma mistura de romance, aventura e até um pouco de thriller fazem “Sonhei que amava você” se tornar uma leitura gostosa e descontraída. Alguns momentos de tensão levam o leitor à loucura, mas as surpresas a cada página compensam. A narrativa em primeira pessoa flui muito bem e eu adorei a Kira, confesso que até me identifiquei com algumas inseguranças e com o jeitinho dela…

Conheci a Tammy Luciano em novembro de 2014 na Feira de Cultura Literária em Olaria aqui no Rio de Janeiro da qual também participei. Ela foi extremamente simpática comigo e me incentivou a seguir meus sonhos.

A autora, que também é jornalista e atriz, tem outros livros, mas “Sonhei Que Amava Você” é seu primeiro publicado pela editora Valentina.

O livro é cativante e merece ser lido por todos os que sonham em viver um grande amor. Garanto que não vão se arrepender.

Assista também ao book trailer de Sonhei Que Amava Você:

Bruna Paiva

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Água com gás

http://i0.statig.com.br/bancodeimagens/5u/gv/dl/5ugvdlmjfzq7dqccablua91kx.jpg

—Me vê uma água com gás, por favor?

— Com gás, Bia? O que é que te deu, hein? Você nunca gostou disso…

— Já ouviu falar em sede de mudança?

—Ai, amiga, que trocadilho besta! E não foi você quem sempre disse que água com gás não mata sede?

— É bobo, mas é o que me move agora, Ju. Cansei! Cansei da rotina, cansei de fazer as coisas sempre iguais, de viver o mesmo problema de maneiras diferentes e voltar sempre para uma história que eu já sei o final. Chega!

“Quero mudança, quero recomeçar minha vida do zero. Quero agir por impulso, sair sem ter combinado antes, jogar tudo pro alto, mudar de bairro, de emprego. Preciso respirar novos ares, conhecer gente nova, trocar o guarda-roupa, fazer loucuras com o cabelo, fazer uma tatuagem diferente…

“Estou farta de pensar antes de fazer as coisas, de ligar para o que fulano e ciclano vão comentar quando souberem as novidades da minha vida. Porque, no fundo, dane-se! E dane-se com todas as letras e todos os seus sinônimos mal educados. Porque ninguém tem nada a ver com a minha vida.

“Quem tem que decidir o que é bom ou ruim pra mim sou apenas eu. Não me interessa mais o que vão achar da roupa que eu estou vestindo ou do perfume novo que eu decidi usar. Não quero saber o que vão pensar quando eu largar a faculdade no sétimo período de medicina. Porque ninguém vai correr atrás do que eu almejo no meu lugar. Ninguém vai realizar meus sonhos por mim.

“Não estou nem aí pro que o cara da mesa ali atrás ou aquela velhinha ali do lado vão achar se eu levantar agora, tirar a blusa e começar a dançar balançando os peitos e cantando loucamente. Quero começar a fazer boxe, pole dance e aprender alemão.Quero viajar o mundo e gravar vídeos contando como foi meu dia para pessoas que eu nem conheço. Vou fazer as maiores loucuras que eu puder e deixar a adrenalina subir até o nível mais alto possível.

“ Não vou mais ser o que os outros querem que eu seja. As pessoas têm que gostar de mim do jeito que eu sou. Cansei de concordar com tudo e todos, e agora eu vou passar a fazer o que me der vontade. E hoje eu acordei com uma vontade louca de tomar água com gás. Alguma objeção, amiga?”

—Ahn… Acho que não… Aliás, moço, vem cá. Me trás uma água com gás também, por favor.

Bruna Paiva

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

6 blogs que eu não consigo parar de ler

Adoro conhecer blogs novos e sempre corro atrás de posts legais para ler. O problema é que acabo abandonando maioria dos blogs que descubro. Mas quando o lugar me conquista de verdade não tem o que me faça largar. Então, hoje vou contar pra vocês quais são os blogs que eu mais acompanho. Aliás, nesses eu entro quase que diariamente em busca dos posts de cada um… Vamos à lista:

1- Depois dos Quinze

O blog da Bruna Vieira sempre foi inspiração pra mim e isso não é segredo pra ninguém. Faz tempo que infelizmente a Bru não posta textos dela por lá, mas a equipe do blog é muito boa e vários livros com textos dela já foram publicados. Sempre procuro dicas de roupas, produtos de beleza e nailarts. Ela também fala de música e sempre tem umas playlists bem animadas. As crônicas casuais nunca decepcionam.

2- Babi Dewet

Também já contei aqui que adoro o blog da Babi. Ela está sempre mostrando as novidades e trazendo coisas diferentes para o blog. Também fala de literatura e eu adoro as resenhas de livros postadas lá. Fora que a blogueira é uma fofa e tem um jeito todo especial de falar com os leitores.

3- Isabela Freitas

O que eu mais gosto no blog da Isabela são os textos. Ela prega o desapego e a valorização da mulher, e até lançou um livro por causa do blog (leia a resenha aqui).Ela tem uma boa interação com os leitores também, como na seção “Conte sua história”. E uma das coisas legais é também o Banheiro Femenino e o Banheiro Masculino, que são bate-papos sobre vários assuntos, mas um só com meninas e outro só com meninos.

4- Coisas Fúteis

O blog da carioca Estefanie Ribeiro, diferente do que pode parecer pelo nome, de fútil não tem nada. Adoro as crônicas dela e me identifico muito com alguns posts do Coisas Fúteis. Gosto de acompanhar o blog porque ela fala de tudo um pouco e eu acho legal essa diversidade.

5- Precisava Escrever

 

O Precisava Escrever é um blog que constantemente me arranca suspiros, sorrisos e, confesso, lágrimas. O Rafael Magalhães posta apenas textos dele no blog. A frequência de posts no Precisava Escrever é menor do que nos outros, mas cada texto vale muito a pena ser lido. Me vejo em vários dos contos e crônicas escritos por ele e estou louca para ler o livro lançado há pouco tempo.

6- (Des)apontamentos

Esse é o antigo “Diário de uma Adolescente”, da portuguesa Daniela Nogueira. Simplesmente adoro o blog da Dani  e ele é sempre um dos primeiros sites que eu abro. Ela mudou o nome e o layout do blog, e eu A-MEI o visual novo. O (Des)apontamentos é bem parecido com o AD, lá a Dani fala de tudo o que ela gosta, do que não gosta e posta textos autorais também.

Bom pessoal, esses são os blogs que eu mais curto e acompanho. Cada um vale muito a pena ser conhecido.

Beijão,

Bruna Paiva

 

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

O que você vai ser quando crescer?

O-que-voce-vai-ser-quando-crescer

Todo mundo tem uma válvula de escape, algo que faz você relaxar e libera endorfina pro seu corpo seja lá qual for a circunstância. Bom, eu sempre tive duas: a dança e a escrita. As duas sempre se completaram no que diz respeito a me desestressar, consolar e me dar paz.

Posso estar passando pelo pior dia da minha vida. Mas se tiver uma caneta e papel na minha mão, o dia nem parece mais tão ruim assim. E quando coloco uma sapatilha e aperto o play, os problemas simplesmente desaparecem naquele momento.

A questão é que, quando você chega numa certa idade, o mundo se vira para você e diz “escolha uma coisa para fazer pro resto da sua vida”. Uma?! Como assim? Desde sempre eu concilio as duas e agora preciso escolher?

Engraçado como esse mundo não entende essa vida dupla. E te enlouquece nessa pressão de querer saber “o que você vai ser quando crescer”. Eu sempre respondi “grande” quando isso me era perguntado na infância. E acho que realmente devemos ser grandes seja lá no que formos fazer…

É estranho o sentimento de precisar largar um sonho para viver outro. Escolher entre as duas coisas mais importantes na sua vida? É como pedir para uma mãe escolher entre seus dois filhos. Não dá, entende?

Por algum tempo sofri realmente tentando escolher entre as duas. E digo sofri porque, como já disse, não consigo ver minha vida sem a dança e muito menos sem escrever.

Largar a dança e me tornar apenas uma escritora? Lógico que seria feliz, mas não estaria completa. Me preparo para a dança desde os 3 anos de idade. Simplesmente desistir, jogar fora o trabalho de uma vida, é isso? Não mesmo.

Então viveria de dança? Largar o blog, parar de escrever, desistir do sonho de ser escritora? Era isso,então? Não, não mesmo. Não podia ser.

Até que um dia eu simplesmente parei de me pressionar em relação a isso. Não precisava escolher. Como eu li uma vez e adotei para a minha vida, ninguém “tem que” nada. As pessoas devem fazer o que lhes faz bem.

Se me faria tão mal escolher entre os dois caminhos para o meu futuro, por que não conciliá-los? Bom, é impossível? Tem uma frase de Walt Disney da qual eu gosto muito e com a qual eu me identifico: “ Gosto do impossível porque lá a concorrência é menor.”

A vida é assim. As pessoas julgam tudo impossível. E quem tenta ou consegue sair do padrão do “normal” é sempre tido como errado. Não vejo razão para “ter que” escolher entre as duas coisas que mais amo. E talvez porque realmente não haja problema nenhum em seguir dois sonhos.

Pode até ser que, algum dia , uma carreira acabe atrapalhando a outra. E quem sabe eu até acabe optando por apenas uma delas. Mas, pelo menos, não vou olhar pra trás e me arrependa de ter julgado impossível algo que talvez eu conseguisse ter feito…

Bruna Paiva

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Top 5- As melhores músicas do Simple Plan

simpleplanOii gentee! O top 5 dessa semana é com uma banda que de alguma forma me entende. Pode parecer exagero, mas tem horas em que eu acho que escreveram as músicas pensando unicamente em alguns momentos da minha vida.

Gosto tanto dessa banda canadense que foi até um pouco difícil escolher as cinco músicas para o post. Mas eu consegui e aqui está meu Top 5 do Simple Plan!

  1. Welcome To My Life

Sabe aqueles dias em que você está pronto para gritar com qualquer um sem muito motivo? Meninas, vocês me entendem… Bom, Welcome To My Life salva algumas vidas ao meu redor. É só dar play no último volume e cantar loucamente…

2. Perfect

Essa é daquele tipo de música que a gente escuta quando acha que está errada em relação ao mundo. Quando todos parecem não te entender, a melhor coisa que existe é cantar bem alto: “Hey, desculpa, mas eu não posso ser perfeito”

 

3. This Song Saved My Life

É uma espécie de agradecimento da banda aos fãs e vice versa. Mas dá pra cantar pensando em qualquer momento da sua vida… É uma música tão especial para mim que até fez parte de “Um Diário Para Alice”, lembram?

 

4. Astronaut

Astronaut é linda e segue a mesma linha das outras. É uma espécie de tentativa de se encontrar dentro de si mesmo. E na voz do lindo Pierre Bouvier coloca qualquer um pra chorar…

 

5. When I’m With You

“I wanna feel the way you make me feel when I’m with you,
I wanna be the only hand you need to hold on to,
But every time I call you don’t have time,
I guess I’ll never get to call you mine…”

Nem preciso dizer que essa é para os apaixonados de plantão, né? Sabe aquela paixão meio secreta que você tem por alguém próximo, mas sabe que nunca vai dar em nada? Já se apaixonou por alguém assim? Bom, então devia ouvir When I’m with you…

 

E então, o que acharam do meu Top 5? Qual são as 5 melhores músicas do Simple Plan para vocês?

 

Bruna Paiva

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Obrigada 2014, e que venha 2015!

New year 2015 is coming on the beachEstive um tempo sem postar nada por aqui. Pensei em produzir algum conto de Natal, mas não gosto de escrever nada correndo. Talvez uma retrospectiva com o melhor e o pior do meu ano tivesse sido uma boa. Até fiz, mas quando reli achei que não estava tão legal quanto deveria, preferi não postar.

Mas tenho pensado nos últimos dias e percebi que não posso deixar 2014 ir embora assim. Não dá para não agradecer ou não me despedir decentemente de um dos melhores anos da minha vida. É clichê, todo mundo faz, lugar comum, chame como quiser. Eu sei que é, mas quem nunca foi?

Um ano em que estive com todos os meus ídolos. E bom, vocês sabem o significado que isso tem para mim, não? Encontrei os meninos da Restart bem no início do ano e encarnei a fã maluca que existe aqui dentro. Seguindo a van pelas ruas do Rio de Janeiro no maior estilo “siga aquele carro”.

Joe Jonas! Meu primeiro ídolo. Aquele que eu sempre tive o sonho “impossível” de conhecer e tirar uma foto que fosse. Mas, como dizia o rei Chorão, o impossível é só questão de opinião. Foram horas cansativas na porta de um hotel e um show de paciência dos meus pais, mas no fim eu realizei meu sonho.

O Fiuk foi bem no final do ano no show do projeto Jovens Tardes da Rede Globo. Como 2014 estava conspirando a meu favor, fui sorteada para entrar no camarim e matar a saudade do ídolo que eu não via há quase 3 anos.  E claro, teve o Christian Villegas, na remontagem de Tudo Por Um Popstar. Lógico que eu estava lá pra prestigiar e abraçar meu ídolo…

Um ano de conquistas. Blog reconhecido, convites para escrever para outro site, matérias em jornais e blogs literários… Fiz minha primeira publicação! O evento do Livros em Pauta foi maravilhoso, conheci muita gente legal…

Lancei Um Diário Para Alice e mais uma vez tive muito reconhecimento por aqui. Participei de uma feira literária como autora e foi uma das melhores experiências…

Em 2014 teve muita dança, teve teatro, teve amor, amizades novas, amizades antigas, teve saudade, teve desamor, teve loucura, teve festa, comemoração, brigas, reconciliação, teve despedidas, teve “eu voltei”, teve amor de novo. Teve gente que eu reencontrei, gente que eu conheci e quero levar pra vida toda, teve muita Selfie, momentos mágicos, momentos horríveis, choro, riso, sonhos realizados, teve emoção, teve histeria, teve surpresa, teve a melhor turma de todos os tempos…

2014 foi o ano da 2B, foi o ano da bagunça, da zoeira, ano de ganhar a mostra de dança, de celebrar a amizade, dar trabalho pros professores (foi mal aí, mestres, mas a 2B foi demais!). Ano que, cá entre nós, vai deixar saudades pra caramba. Já deixou, né?

Um ano em que eu percebi que o que mais importa nessa vida é ser feliz porque é a única coisa que a gente leva daqui. Se te faz mal, não insista! Só precisamos daquilo que nos faz bem…

Eu não me lembro de ter tido um ano tão intenso, cheio de todos os tipos de emoções e acontecimentos. E agora que acabou eu sei que posso olhar pra trás e dizer que 2014 foi um dos melhores anos da minha vida.

Não digo O melhor porque nunca se sabe o dia de amanhã. Afinal, 2015 está aí e eu sei que só depende de mim fazer com que ele seja O ano da minha vida…  E tem tudo pra ser. Último ano na escola, ano de realizar sonhos, prestar vestibular a sério, trabalhar muuuuito e principalmente: ser MUITO feliz!

Obrigada 2014, por tudo o que eu vivi. E 2015, seja intensamente, absurdamente e infinitamente bem-vindo.

Bruna Paiva

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook