A menina da mesa ao lado…

adolescentedemaisEu estava à toa, no intervalo entre uma aula e outra. Fazia um calor terrível e a lanchonete tinha pouca gente. Pedi um suco e sentei à mesa junto às três amigas que me acompanhavam.

O papo estava divertido. Era fofoca que não acabava mais. Ríamos bastante, as quatro, naquela mesa. Cada uma contando como tinha sido o dia anterior e reclamando do clima quente da cidade. Entretanto, enquanto as meninas falavam, acabei me distraindo com a mesa ao lado.

A garota devia ter uns 15 anos. Nem magra nem gorda, baixa, loira, olhos negros… Era bonita, mas estava chorando. Usava um vestido florido de cores claras e tênis que combinavam. Sentada sozinha a uma mesa de quatro lugares. Enquanto deixava as lágrimas caírem e mordia o lábio numa angústia sem fim, não cansava de checar o celular.

Ela desbloqueava, olhava por um tempo para a tela iluminada e logo bloqueava novamente o aparelho que tinha nas mãos. E, cada vez que terminava o ciclo, deixava um soluço escapar. Chegou até a apoiar o rosto em uma das mãos e olhar para o nada com uma expressão vazia…

Seu olhar na verdade era meio perdido… Não consegui deixar de especular sobre os possíveis motivos de seu pranto. Talvez tivesse brigado com o namorado e terminado o relacionamento. Não… Que tipo de babaca termina com a namorada por mensagem? Seria muita maldade.

Podia ter recebido uma notícia muito triste. Perdera alguém da família… Mas quem nessa situação entraria numa lanchonete, num lugar público para se derreter em lágrimas? Bom, eu não…

Não sei exatamente o porquê. Porém a agonia daquela garota me tocou. Queria ajudar de alguma forma. Entretanto era óbvio que não podia fazer nada. Levantar de onde estava e perguntar o que havia acontecido? Com a menina naquele estado? Talvez fosse o correto a se fazer. Mas não tive coragem…

Àquela altura eu já tinha até perdido o assunto da conversa em minha mesa.

— Vamos, Bru? – minhas amigas me chamaram e eu levantei. Mas, antes de sair, arrisquei olhar pra trás. A garota ainda estava lá, e observava nossa saída.

Olhei nos olhos dela e dei um sorriso, como quem diz que “vai ficar tudo bem”. Com o rosto inchado e os olhos vermelhos ela tentou sorrir de volta. E então checou o celular mais uma vez voltando a soluçar…

Bruna Paiva

OLARIA VAI GANHAR UMA FEIRA LITERÁRIA E VOU LANÇAR MEU PRIMEIRO ROMANCE LÁ!

10672089_874862645858631_1644238641838092754_nGente tenho uma notícia muito legal para dar pra vocês! No próximo dia 1º de Novembro o bairro em que moro receberá a Feira de Cultura Literária 2014. E eu participarei do evento como autora, lançando meu primeiro romance. Isso mesmo!

É uma história de amor e superação envolvendo uma adolescente. Não posso dar detalhes ainda, mas em breve postarei aqui mais informações e a capa da obra. A história vai se desenvolver num formato bem diferente e eu acho que vocês vão gostar bastante.

Quero convidar todos para a feira literária, que contará com muitos autores e editoras voltadas para o público adolescente e jovem adulto. Vai ser um evento super legal e eu já estou muito ansiosa!!

Quem está a frente da organização da feira é a fofa da Mariana Mortani, do blog Magia Literária. E a gente fez uma pequena entrevista com ela para contar pra vocês maiores detalhes da Feira de Cultura Literária 2014! Segue então o bate papo com a Mari:

 

SAM_9468

Eu e a Mari do Magia Literária

1 – Como surgiu a ideia de fazer uma Feira Literária na Região da Leopoldina?

Eu estou sempre em eventos literários e, quando a coordenadora de Artes do meu colégio, GAU, me contou a ideia de realizarmos uma Feira Literária na Semana de Arte e Cultura eu logo fiquei animada. Graças ao meu blog literário tenho o contato de muitos autores e editoras, então poderia ficar responsável pelos convites e bastava torcer para que se animassem com a ideia. Ainda bem que foi o que aconteceu.

2 – Que tipo de trabalho você tem feito na organização do evento e como será a participação do seu blog Magia Literária na feira?

Além de fazer os convites, durante a feira irei gravar vídeos para os que acompanham o canal do Blog no Youtube e irei mediar algumas das mesas de debates que acontecerão.

3 – Você vai expor algum trabalho seu (livro, texto, etc) no evento?

Eu não costumo divulgar meus textos, mas às vezes faço mediação de eventos, então estarei na feira mediando mesas de debate e, claro, tirando as dúvidas dos leitores.

4 – Como os autores e editoras estão recebendo a notícia do evento? 

Foi muito legal ver a animação dos autores e das editoras. Além dos autores do Rio, teremos a presença de autores de São Paulo, Brasilia e Belo Horizonte. Fiquei muito feliz ao ver que alguns, mesmo sem a Editora estar presente, se animaram em vir e estarão conosco. As Editoras estão recebendo bem e, infelizmente, algumas não poderão estar conosco por terem sua sede em outras cidades, porém outras, mesmo não sendo do RJ, estarão lá – o que me deixou ainda mais animada.

5 – Que atrações você já pode confirmar na Feira?

A lista de autores e Editoras está sendo atualizada toda vez que um autor ou uma editora confirma presença, além de ter a lista de palestras e mesas. Todos podem acompanhar em: https://www.facebook.com/events/279697712239457/ E não deixem de confirmar presença!

6 – É verdade que haverá um espaço para blogs literários no evento?

Sim! Estamos recebendo e-mails de blogueiros que estarão presentes e vamos ter um espaço especial para eles. Todos os blogueiros que estiverem interessados podem enviar um e-mail através da aba “Contato” do ML, assim podemos organizar tudo para que no dia ninguém fique de fora.

7 – Vocês pretendem transformar essa feira literária em um evento anual na região?

Com certeza! Estamos recebendo um bom feedback e esperamos que essa primeira edição seja ótima e possamos realizar mais uma no ano que vem. Quem sabe ela não vira realmente uma anual.

8 – Que recado você daria para o público que pretende visitar a Feira Literária?

Eu espero que todos se divirtam assistindo as mesas de debate e que aproveitem para conhecer nossos autores e nossa literatura nacional. Um dos motivos da Feira é para que os leitores saibam que temos muitos bons autores em nosso pais e que nossa literatura seja ainda mais valorizada.

9 – Imagino que não seja fácil organizar um evento como esse. Quem são as empresas e/ou instituições que estão ajudando a tornar esse evento uma realidade?

O Colégio GAU, principalmente, por acreditar em nossa ideia; o Olaria Atlético Clube, já que o evento será realizado no Salão Nobre do mesmo e  as Editoras já confirmadas (Ases da Literatura, CBJE, Era Eclipse, FTD, Lexikon, Moderna, Panda, Valentina, Grupo 5w e Grupo Editorial Novo Conceito), que estarão presentes com seus estandes e os blogs literários que estão fazendo postagens estão ajudando na divulgação. A partir dessa semana os moradores da Região da Leolpodina irão saber do evento através de carros de som e iremos distribuir panfletos para que mais gente saiba do evento. Espero que todos se animem com a ideia e estejam presentes.

 

995642_874863012525261_2807493739000028420_n

Bruna Paiva

 

O Menino do Pijama Listrado: o Filme X o Livro

menino-pijama-listradoUm de meus gêneros preferidos para leituras e cinema é a Segunda Guerra Mundial, nazismo e as histórias daquela época. Ler sobre esse tema é pedir para se debulhar em lágrimas, eu sei. Mas eu gosto, fazer o quê?

O último livro nessa linha que li foi “O Menino do Pijama Listrado”, publicado no Brasil pela Companhia das Letras. E talvez tenha sido um dos que mais me emocionou na vida. Na história, Bruno é um menino de 8 anos, filho de um Coronel Nazista.

Quando seu pai é promovido e vai tomar conta de um campo de concentração, ele leva toda a família para morar perto de seu novo trabalho. Porém, Bruno não gosta muito da ideia, já que terá que deixar todos os seus amigos para trás. Na nova casa, sem nada para fazer, Bruno resolve bancar o explorador. Até que um dia ele encontra uma cerca.

Do outro lado da cerca, Shumuel, um menino judeu da mesma idade de Bruno vive uma realidade bem diferente, num campo de concentração. Mas nenhum dos dois tem noção da situação pela qual estão passando. Depois do primeiro encontro, os dois viram melhores amigos.

A história é triste e impactante. E o autor, John Boyne, prende o leitor com uma excelente narrativa em terceira pessoa. Não sei se posso dizer que amei o livro, já que, como de costume, acabei em lágrimas. Mas é uma boa leitura pra quem não se importa com finais tristes.

John Boyne é um romancista irlandês e “O menino do Pijama Listrado” é seu livro mais conhecido. Já vendeu mais de 5 milhões de cópias e chegou a ser traduzido para mais de 40 idiomas…

Logo depois que li o livro corri para assistir ao filme inspirado na obra. Precisava visualizar tudo aquilo que tinha lido. E adorei o fato de que, fora poucos detalhes, o filme foi bem fiel ao livro. Trazendo inclusive falas idênticas, como uma das partes que mais mexeu comigo. Durante um diálogo entre os meninos, Bruno confessa a Shummuel que acha injusto ter que ficar sozinho em seu lado da cerca enquanto o amigo vive rodeado de gente.

Acho que a única coisa que o filme romantiza um pouquinho é a relação de Bruno e seu pai. No livro ele é um completo idiota. Enquanto, no filme, é um pai bem mais presente na vida do filho.

Mesmo assim, vale muito a pena ler e assistir a essa história. Só não se esqueçam de preparar uns lencinhos, porque eu garanto que vão precisar…

Bruna Paiva

Não quero mais te querer

naoqueromaistequererPosso te contar uma coisa? Sei que nunca tivemos absolutamente nada. Mas me deu um aperto no coração quando te vi com ela…

Tenho plena noção de que o sentimento que eu tinha por você era uma via de mão única. Nunca foi recíproco e você fez questão de deixar isso bem claro. Mesmo assim, eu ainda alimentava uma esperança. E, como eu já li num livro uma vez, “a esperança é a única coisa maior do que o medo”.

Eu tinha a esperança de que um dia você acordaria e se daria conta de que fomos feitos um para o outro. Mas não, a vida não é assim. Você nunca fez isso. E conseguiu esmagar minha esperança agora que encontrou alguém que realmente foi feita para você.

Confesso que, de início, meu mundo se abalou um pouquinho. Talvez mais do que apenas um pouquinho… Ok, algumas lágrimas caíram. Fiquei meio chocada, apesar de ter consciência de que nunca tive chances com você.

Tentei olhar feio para vocês, mas não dá pra negar que formaram um casal bonito…

Sou boba, romântica e idiotamente sonhadora. Queria que tudo fosse como num filme. Já pensou? Eu me declarava pra você, mais uma vez, e você largava ela pra ficar com a mulher da sua vida: eu.

Acho que acabei de provar a primeira oração do parágrafo acima. Mas, venho pensando, preciso manter meus pés no chão em relação a você. Já tentei te esquecer diversas vezes. Falhei em todas elas.

Só que agora é diferente. Você está seguindo sua vida. Aliás, nunca deixou de fazer isso. Por que eu ainda me prendo a você, mesmo sabendo disso? Não sei. E não quero mais tentar descobrir.

Agora entendo que tenho que seguir a minha vida também. Com ou sem você a vida continua. E, do mesmo jeito que você arrumou um amor, eu sei vou encontrar alguém pra mim.

Hoje sei que não te quero mais. Na verdade, decidi que não quero mais te querer. E você me conhece o suficiente para saber que, quando me decido, eu não volto mais atrás.

Bruna Paiva

Top 5- As melhores músicas do Nickelback

Vocês sabem que eu amo música. E já contei aqui que sou enlouquecidamente fã de alguns artistas. O que não significa que sou assim com todos os que admiro.

Minhas bandas preferidas não são só meus ídolos. Decidi fazer então uma espécie de tópico para mostrar para vocês as bandas que eu mais gosto por aí.

Vou começar por Nickelback. Selecionei as 5 músicas que eu mais gosto da banda, e espero que também gostem…

  1. Never Gonna Be Alone

A melodia é maravilhosa. Mas a letra mexe demais comigo. Como já sabem, sou romântica, e não existe nada mais romântico do que a letra dessa música. A declaração e a promessa presentes em Never Gonna Be Alone é de fazer chorar qualquer uma que esteja na TPM…

 

  1. Photograph

Gosto muito dessa música porque me identifico muito com ela. Em Photograph, um cara se vê tendo que dizer adeus para uma fase maravilhosa de sua vida. Mesmo tendo sido em um contexto diferente, já tive que passar por algo parecido. E essa música realmente me emociona.

 

  1. Far Away

É, eu gosto mesmo de acreditar no amor. A letra dessa música também é bem romântica. Sem falar na melodia maravilhosa. Amo ouvir Far Away quando estou no carro, fechar os olhos e simplesmente viajar.

 

  1. What Are You Waiting For

Essa música é nova, e diz que precisamos acreditar nos nossos sonhos. E pergunta o tempo inteiro o que você está esperando para viver e fazer tudo o que você sonha. Minha cara! Só se vive uma vez, e é tempo de aproveitar essa vida…

 

  1. Rockstar

Sabe aquele estereótipo de que todo roqueiro fuma, bebe e vive rodeado de mulheres? É exatamente o que a música critica. Além de ser super divertida, uma vez que se aprende a letra, é impossível parar de cantar…

 

Bruna Paiva

Vestida para Votar

Levantou-se às 7 horas da manhã, ainda de ressaca da festa do dia anterior. Tomou um banho quente, pôs a calça Jeans, uma blusa de malha rosa e foi à padaria comprar pão e leite. Cartazes, galhardetes e panfletos espalhados pelas ruas lembraram-na de que não se tratava de um dia comum.

De volta à casa, tirou a calça, jogou a blusa rosa na escrivaninha e sentou-se só de calcinha na cama. O cheiro do pão quente a embalou por alguns minutos de reflexão. Tinha pouco tempo para se decidir e queria fazer a escolha mais acertada. O dia exigia uma produção cuidadosa.

Pela primeira vez em 16 anos sentia o peso da responsabilidade. Decidiu encarar aquele momento de forma solene. Vestiu-se de preto, mas recuou diante da prova do espelho. Era fechado demais para o horário. Também evitaria o verde e o vermelho, suas cores prediletas, para não parecer favorável a este ou àquele partido.

Explorou o armário de uma ponta a outra em busca de uma cor neutra. Sentiu uma energia boa ao pegar o vestido branco no último cabide. Era ele. Vestida, maquiada, trança feita e sandália no pé, pôs-se uma última vez diante do espelho. Mas recuou. Avaliou que seu amor poderia encarar como desfeita se a visse usando o presente de réveillon dois meses antes do combinado.

Decidiu esfriar a cabeça e buscar inspiração tomando café. Esquentou o pão, preparou um chocolate quente e questionou-se mentalmente sobre seu estado de indecisão em um dia tão importante. Decidida a por fim àquela angústia, escovou os dentes e usou a velha tática da roupa à vista.

Passou a mão na blusa rosa sobre a escrivaninha, pegou a calça jeans sobre a cama e sentiu-se verdadeira. Na mochila, buscou o papel com os nomes e números dos seus candidatos. Já os tinha escolhido há uma semana, depois de minusciosas pesquisas na internet.

Saiu de casa orgulhosa. Vestida como quem vai comprar pão, mas com disposição para mudar o mundo.

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

 

Aderindo ao desafio: uma carta ao meu Blog…

Dia desses vi um post muito lindo no blog Diário de Uma Adolescente, da portuguesa Daniela Nogueira. Acompanho o blog da Dani já há algum tempo, e, nesse post, ela escreveu uma carta ao seu blog. Uma declaração de amor a ele.

Achei a carta muito fofa e até comentei isso aqui quando indiquei alguns links. E o melhor de tudo é que no fim ela lançou um desafio a outras blogueiras: que todas escrevêssemos cartas aos nossos blogs. Eu amei a ideia e, é claro, aderi… Então aí está minha carta ao Adolescente Demais: Alguém mais topa entrar na brincadeira?

 

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Querido Blog,

Nem sei como começar isso. Talvez pelo começo seja uma boa solução… Há quanto tempo estamos juntos? Dois anos? Acho que quase isso, não? Caramba, quanta coisa já não mudou na minha vida de dois anos pra cá? Eu te respondo: MUITA.

Mas nesse tempo você esteve sempre do meu lado. Me ajudou em todos os momentos complicados, aturou meus momentos felizes e empolgados demais… Trocou de nome, de estilo e layout diversas vezes até chegar ao resultado atual. E tem passado junto comigo pela fase mais maravilhosa da minha vida.

Maus bocados já tivemos que suportar uma vez, se lembra? Nossa, como fiquei arrasada com a perspectiva de te perder… Confesso que só ali percebi o quanto você vinha sendo importante na minha vida. O tamanho do bem que você me fazia, e que faz até hoje…

Com você aprendi a colocar todos os meus sentimentos em palavras. Só com você consigo me desligar do mundo, acabar com o stress e fazer o que mais amo.

Queria te agradecer por tudo o que você já me proporcionou e tudo o que eu tenho certeza de que ainda vai proporcionar. Obrigada, meu querido, por tudo mesmo. Tenho o maior orgulho de você e espero ainda passar muitas e muitas aventuras ao seu lado…

Hoje, te tenho como um melhor amigo, e talvez até um pouco como filho. Te amo com todas as minhas forças. E queria que soubesse que é um projeto para o resto de minha vida.

Com amor,

Daquela que te ama,

Bruna Paiva

 

*Texto inspirado no post da colega Daniela Nogueira do blog Diário de uma Adolescente.

 

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Trilogia A Seleção – não tem como não se apaixonar!

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Acabo de terminar “A Escolha”, o terceiro livro da série “A Seleção”. E nos últimos tempos, a história da protagonista America Singer é uma de minhas favoritas.

Quando li primeiro livro, “A Seleção” , o segundo ainda não havia sido lançado. E eu contei os dias para poder ler “A Elite”. Este ano, em maio, foi lançado “A Escolha” e eu demorei um pouco para encaixá-lo na minha fila de leituras.

Meu Deus, o final da Seleção não podia ter sido melhor. E agora aguardo ansiosamente o lançamento dos novos contos da história, que não é mais uma trilogia. “A Rainha” será lançado ainda em dezembro deste ano, e “O Herdeiro” só em 2015. Além, é claro dos contos já publicados, que eu ainda não li, “O Príncipe” e “O Guarda”.

Pra quem não conhece a série, A Seleção conta a história de America Singer. Num futuro, depois de uma terceira guerra mundial, os Estados Unidos da America viram uma monarquia chamada Illéa.

O príncipe Maxon está em idade de se casar. E, como de costume, é realizada uma seleção. Garotas de toda Illéa se inscrevem e 35 são selecionadas para viver no castelo, para que então o príncipe possa escolher sua esposa.

Detalhe da trilogia na minha estante

Detalhe da trilogia na minha estante

No segundo Livro, “A Elite”,  apenas 6 meninas continuam na disputa. América e o Maxon estão cada vez mais próximos, porém ela ainda está dividida entre o príncipe e Aspen, seu antigo namorado que agora é um guarda no palácio.

Em “A Escolha” é quando a tão esperada decisão do príncipe é tomada. Com uma surpresa atrás da outra, Kiera Cass, autora do best-seller, faz você simplesmente devorar o livro. O final foi do jeito que eu torcia, mas não do jeito que eu esperava. E eu amei me surpreender com tantas coisas. Me apaixonei por personagens que odiava e me emocionei com várias cenas…

Trilogia a seleçãoA Kiera esteve aqui no Brasil na última Bienal de São Paulo, e deu uma passadinha aqui no Rio também, uma pena eu não ter podido estar lá… Todos os livros da série, inclusive os contos, foram e serão publicados pela Editora Seguinte, o selo de literatura jovem da Companhia das Letras.

A série é maravilhosa e eu mal posso esperar para ler os contos!

Bruna Paiva

PRE-CI-SO assistir a Katy Perry e John Legend no Rock in Rio 2015!

rock-in-rio-2015

Imagem: Reprodução

Já foram anunciadas as primeiras atrações do Rock In Rio 2015! Katy Perry e John Legend farão parte do festival. E eu preciso estar lá desta vez!

katy-perry-2014-4

Imagem: Reprodução

Eu nunca tive a oportunidade de ir a um Rock In Rio. Queria muuito ter ido nos últimos, principalmente o de 2011, mas os ingressos estavam caros demais e esgotaram rápido demais também… Lembro-me de filas quilométricas para conseguir uma senha para tentar comprar um ingresso.

Fiquei super feliz em saber que a Katy  vem novamente. Em 2011 ela também se apresentou no evento. Eu simplesmente amo as músicas e o jeito dela. Acho uma artista maravilhosa. E fiquei decepcionada de não poder assistir ao show. Vi pela televisão cantando e pulando loucamente, mas vai, não é a mesma coisa do que ver lá, ao vivo né…

John+Legend1

Imagem: Reprodução

O John Legend eu não conheço direito. Pra falar a verdade só conheço uma música, All of Me, e acho linda. Provavelmente o show dele também vai ser bem legal.

Dessa vez eu preciso ir. Quero muito ter a sensação de “eu fui no Rock In Rio”, e é claro poder usar uma camisa assim… E, se as primeiras atrações já são maravilhosas, imaginem o que mais vem por aí, né?

O festival vai rolar aqui no RJ nos dias 18, 19, 20, 24, 25, 26 e 27 de setembro de 2015. E espero poder estar em pelo menos um desses 7 dias…

Bruna Paiva

Para sempre no meu pensamento – Um ano sem você…

P1160532

Eu, no colo da minha mãe, ao lado do meu primo

Há exatamente um ano, eu recebi uma das piores notícias da minha vida. E, pela primeira vez, senti uma pancada tão forte com esse tipo de acontecimento. Eram seis horas da manhã quando me disseram que você tinha ido embora, pra sempre.

Juro que não acreditei num primeiro momento. Mas quando vi o desespero da minha mãe, percebi que não era um pesadelo. Eu nunca mais ia te ver ou ouvir sua voz.

Agora, isso já faz um ano. E, na última semana, vi uma homenagem em que diziam que você morreu para se tornar Herói. Sinceramente? Já temos heróis demais nos cinemas e quadrinhos. Eu não queria mais um herói morto, só queria você aqui.

Eles dizem se lembrar de cada operação sua, de como você era bom no que fazia e comprometido em cada batalha. Mas quer saber do que eu lembro?

Eu me lembro de quando você me levava pra tomar sorvete. Lembro de quando você me pegava no colo e me virava de cabeça pra baixo. Lembro de andar de bicicleta com você, de toda a atenção que você sempre me deu. Lembro das piadas, dos almoços em família e do ano novo que a gente passou junto e você comprou espumante sem álcool para eu poder brindar também.

Me lembro de chegar na sua cidade de madrugada e você estar na rodoviária esperando com um sorriso gigante no rosto. Lembro de jogarmos jogos de tabuleiro e lembro que foi você que me ensinou a jogar Jenga. Lembro do seu casamento, de como você estava feliz…

Eu lembro da última vez em que te vi. E me arrependo de ter sido tão idiota lá pelos meus 13 anos. É uma fase em que a gente resolve bancar o rebelde e acha que ninguém mais é interessante. Meu Deus, como eu me arrependo. Ah, se naquela época eu soubesse que nunca mais ia te ver…

Lembro de tanta coisa boa que passei com você… Enquanto para eles você era o “PAIVA”, pra mim você era só o Fábio. Ou tio Fábio, como eu te chamei muito, mesmo não sendo esse nosso grau de parentesco.

E, primo, que falta danada você tem feito por aqui, hein?

Há um ano, com a dor da perda bem recente aqui dentro de mim, eu escrevi o texto “Para Sempre No Meu Pensamento”, falando sobre a morte. E, como esse texto foi apagado junto com o antigo blog, achei que era uma boa forma de prestar uma homenagem repostando ele aqui. É impressionante como, mesmo depois de 365 dias, cada palavra ainda reflete a dor de não poder mais te ver…

 

 

 

Para Sempre No Meu Pensamento

fabio

Eu, meu irmão e meu primo.

 

Não consigo me decidir se é a vida que nos ensina a lidar com a morte ou se a morte nos ensina a lidar com a vida. A verdade é que nunca aprendi a lidar bem com esse encontro da vida e a morte.

Às vezes eu tenho certeza de que a vida e a morte gostam de brincar conosco, como se fossemos pequenas marionetes. Elas brincam com nossos sentimentos e nos tiram as coisas e pessoas de uma hora para a outra, sem aviso prévio.

Me pergunto qual seria o motivo de fazerem isso, por que levar as pessoas que não merecem ser levadas? Não que eu me ache no direito de decidir sobre o merecimento à vida de qualquer ser humano, mas… Se ao menos nos pedisse permissão, se pelo menos perguntasse antes…

Mas há um motivo para ela não pedir. Se a morte pedisse permissão para levar alguém amado, quem deixaria? Ninguém permitiria que alguém querido fosse levado. Então ela simplesmente os leva. Ela vem e tira de nós aqueles a quem mais amamos sem dizer nada.

Não sei se ela se importa com o que deixa pra trás quando leva alguém, parece que não. À morte, não importa se uma mãe, uma esposa ou toda uma família vai sofrer. Ela não se importa nem um pouco, é cruel. Sei que pode parecer egoísta, mas quem mais se importa com a morte somos nós. Aqueles que continuam vivos para lembrar e sofrer pela perda de nossos amados.

A morte de alguém querido trás uma dor imensurável. A dor da perda é pior que qualquer dor física. Ela te deixa com um vazio, como se uma parte de você se desintegrasse. A dor de ter de aceitar que nunca mais vai rever essa pessoa, ouvir sua voz, é inexplicável.

E aí começam as lembranças. Você lembra da última vez que a viu e depois começa a reviver todos os outros momentos em que esteve com essa pessoa.  As lágrimas da dor de perder alguém amado foram as únicas que eu nunca consegui segurar.

Quando se está de luto por alguém que se ama, a única coisa que você quer é se trancar no seu mundo e chorar de saudades. E é aí que a vida mais uma vez resolve brincar conosco. Porque não é permitido se trancar no seu mundinho. A vida faz questão de te obrigar a sair dele e perceber que uma parcela pequena de pessoas sofre junto com você, enquanto o resto do mundo continua vivendo normalmente mesmo quando o seu mundo está caindo.

Quando a gente percebe isso, dá raiva, dá vontade de gritar com o resto do mundo, mas você não pode. Porque o resto do mundo não tem culpa do seu luto. E porque, quando a morte vem, não há mais nada que se possa fazer a não ser manter quem você ama para sempre no seu pensamento.

Saudades Eternas,

Bruna Paiva