Velozes e Furiosos 7: saí do cinema chorando

O post de hoje é sobre “Velozes e Furiosos 7”, mas já vou logo avisando que dessa vez não é resenha, crítica nem nada. E já alerto também que o texto pode conter SPOILER.

Criei o Adolescente Demais com o intuito de expressar meus sentimentos e aquilo que eu penso da maneira que mais amo: escrevendo. Sendo assim, achei que um filme que me fez sair do cinema aos prantos merecia um espaço por aqui.

A série “Velozes e Furiosos” é mundialmente conhecida por suas cenas “mentirosas”. Explosões, corridas, cenários destruídos, carros capotando, tiros, exageros e muito mais estão presentes em mais de 80% dos 7 filmes. Mas o que sempre me chamou mais a atenção foi a história por trás dos efeitos especiais.

A relação de lealdade, amizade, amor verdadeiro e família entre os personagens sempre foi a minha parte preferida. Não era nenhuma fã enlouquecida da série. Mas me emocionei e acompanhei a história durante os anos que se passaram.

Ano passado, quando foi noticiada a morte de Paul Walker, a primeira coisa em que pensei foi “O que Dom vai fazer agora?”. Fiquei triste mesmo e acima de tudo curiosa quanto a como terminariam as gravações do filme. E claro, que fim dariam a Brian, como ficaria a Mia nessa história e o que Dom faria para vingar a morte do amigo.

U.S. actor Walker presents a creation from Colcci's 2013/2014 summer collection during Sao PauloDepois de algumas semanas do lançamento, consegui finalmente assistir ao filme. E o final dado ao personagem de Paul não poderia ter sido melhor. Não mataram Brian, apenas o fizeram seguir seu caminho. Uma Mia grávida e seu filho, Jack, foram junto com ele. Viver como uma família normal, descansar das corridas, das balas e todo aquele perigo.

E Dom? Este teve direito a sua despedida, por mais que tenha tentado fugir desse momento. E é aí que entram as minhas lágrimas. Às primeiras notas de See You Again eu já não consegui me conter. Antes de assistir ao filme, a trilha sonora já estava no meu celular me preparando para essas emoções.

E, quando Dom começou a falar e relembrar TUDO o que Brian viveu com ele até ali, a despedida não era mais mera parte da história. Quem não se emocionou com “Nunca é um adeus” ou “Eu não tenho amigos. Eu tenho família” realmente não sabe do que eu estou falando. Mas, nas cenas finais, eu confesso que refleti sobre todas as pessoas que passaram pela minha vida e de alguma forma eu perdi.

Queria deixar aqui um adeus decente ao Paul. Mas não só isso: meus sinceros parabéns a toda a equipe do filme. As cenas que Paul não pôde gravar ficaram incríveis, em momento nenhum dá para perceber algum sinal de computação gráfica. E a homenagem do final foi forte, emocionante e bonita.

Tenho certeza que seja lá onde Paul esteja, tem orgulho da família que encontrou em vocês.

Bruna Paiva

 

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog no Instagram

Anúncios

3 pensamentos sobre “Velozes e Furiosos 7: saí do cinema chorando

  1. Pingback: Diário de viagem: 2 dias no parque Beto Carrero! | Adolescente Demais

  2. Enfim encontrei alguém que também chorou no final do filme, no cine que estava o “protocolo do silêncio” foi quebrado e os créditos finais subiram pela tela ao som dos aplausos… Escolheram um fim com ar de recomeço para Paul e eu simplesmente amei isso!!! Assim como os diretores da sequência estão de parabéns, você também está! Adoro seus textos… Kiss

    Curtir

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s