Sol

Esbarro nos teus olhos, sem querer.
Esse reduto de hipnose que me arranca do tempo presente.
Viajo para a sua dimensão, onde você faz de mim o Sol.
Da sua e da minha vida.
Não é injusto?
Doar-se para alguém que te ilumina somente sob a condição de que lhe gire ao entorno?
Caso se esgotem as rotações,
você desmonta.
Mas eu…
Eu continuo brilhando.

Bruna Paiva

Gostou do post? Então, comente, compartilhe e não se esqueça de me seguir nas redes sociais!

Siga @ADemaisblog e @BruPaivac no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog e @BrunaPaivaC no Instagram

Anúncios

Escritores Anônimos em bloqueio criativo

O salão é maior do que o necessário, mas o ambiente é agradável. Sentamos numa roda de
cadeiras plásticas e todos se olham nos olhos. Alguns trazem bloquinhos e caneta, outros se
renderam à tecnologia. Uma parte parece animada. A outra, abatida pelos truques da própria
mente.
— Eu sou D. M. Ramalho e há 27 dias eu não consigo passar nada para o papel.
— Meu nome é Beatriz Coelho e eu estou há 301 dias sem conseguir escrever sobre o amor.
— Meu nome é Mauro Toledo e faz 94 dias que eu deixei de ser poeta.
— Por vontade própria? — Pergunta o mediador.
—Por bloqueio. —Mauro responde. — Não sai nada.— O círculo se encara, tenso. Uma gota
de suor escorre pelo rosto de Maria.
— Isso não quer dizer que você deixou de ser poeta. Todo bom escritor passa por isso. — A
tensão se afrouxa levemente até que alguém diga:
— Eu li sobre uma escritora que teve um bloqueio de 50 anos.
— Eu conheço um que ficou 10. — o autor ao lado se manifesta.
— Imagina, 50 anos sem escrever? — um desesperado se se altera, no extremo oposto do
círculo.
—Eu vou morrer de fome… — Maria choraminga na cadeira, entortando a coluna.
O burburinho começa. 50 anos sem escrever. É possível passar 50 anos sem que a mente faça
aquilo que ela decidiu que queria fazer para o resto da vida? 50 anos falhando em algo antes
tão simples.
—Vocês já tentaram escrever sobre isso? — Alguém levanta a voz em meio às conversas
paralelas.
— Sobre não conseguir escrever? — Mauro se interessa. Como não pensara nisso antes? O
bloqueio era tão forte que nem mesmo a solução mais fácil lhe passava pela cabeça.
— O último dos recursos. — Um impressionado profetiza.
—Eu tenho 7 textos sobre isso. Todos uma merda. — Lopes cruza as pernas.
— Sabe o meu maior problema? — Valéria toma a palavra. — Não é a questão do não
conseguir escrever. Eu escrevo — Ela folheia o caderno, cheio de anotações. — Mas eu não
acho nada bom. Já achei um dia. Mas, hoje, tudo que eu passo para o papel me parece
imaturo, pobre, indigno da leitura de qualquer um.

—Por que não traz aqui para lermos?
Valéria os encara, muda. Tem vergonha. De uma hora para outra, passou a se sentir exposta
pelo que escreve. A dar importância maior ao que é possível que o outro fosse pensar sobre
ela, caso lesse seus escritos. E, por isso, aprisionou cada um deles naquele pequeno caderno
em que não era capaz de terminar nenhuma linha iniciada.
— Melhor não. — Ela olha para chão.
— Vocês sabem que ao fim de cada reunião eu trago um prompt. — O mediador volta a falar.
—Eu nunca entendi essa palavra. — Alguém murmura.
—Eu também não. — Um sussurro responde.
O mediador faz uma careta. É complicado lidar com um coletivo de egos frustrados.
— Uma sugestão, dears. Um tema para instigar vocês a voltarem a escrever. É esse o objetivo
maior de nossa troca. Que um incentive o outro a partir de sua própria experiência.
— Eu não me sinto incentivado por um monte de gente que não consegue mais escrever. —
Fabrício debocha e logo recebe olhares revoltados.
— O que faz aqui então? — Alguém grita.
—Se é tão superior porque não senta e escreve? —Outro revoltado se altera e então começa o
burburinho.
— O prompt de hoje é Desejo e Dilema! — O mediador sobe o tom, mas dessa vez a discussão
não cessa.
E voltamos ao caos que encerra cada reunião. Afinal, é ele o que de fato motiva cada um que
volta, a cada quinta-feira, na vã esperança de que esse encontro magicamente o faça voltar a
saber escrever.

Bruna Paiva

Gostou do post? Então, comente, compartilhe e não se esqueça de me seguir nas redes sociais!

Siga @ADemaisblog e @BruPaivac no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog e @BrunaPaivaC no Instagram

Réveillon em 4 atos: a última novidade do ano!

2018 já tá quase indo embora, mas ainda dá tempo de lançar uma última novidadezinha esse ano? Claro que dá!

Esse foi um ano cheio de conquistas. Teve conto no Wattpad durante o Carnaval, cheio de leitores se apaixonando por Aline e Diego, teve coletânea de textos sobre o amor não-ideal, na Amazon, teve lançamento da versão física de Um Diário Para Alice e, agora, eu trago pra  vocês a última ação de 2018:

A partir da meia-noite do dia 29/12, vocês vão poder conferir, e baixar gratuitamente, um conto de Réveillon, na Amazon!

O conto traz a história de Marcela, uma adolescente de 16 anos que há meses vinha planejando a virada do ano perfeita, com as melhores amigas e o garoto por quem é apaixonada. Porém, seus planos não podem se concretizar já que Ana Lúcia, sua irmã mais velha, decide marcar seu casamento com Cássio para o dia 31 de dezembro e fazer com que família e amigos passem a virada do ano juntos, numa festa luxuosa e cheia de superstições. Arrasada, Marcela é obrigada a ser dama de honra e acompanhar o Réveillon de seus sonhos à distância, pelas redes sociais. Será que a menina vai conseguir aproveitar a virada?

 

Réveillon em 4 atos vai ficar disponível de graça na Amazon até o dia 2/01 de 2019. Aproveitem os últimos dias do ano para entrar no clima da virada com uma leitura rápida e divertida!

 

Gostou do post? Então, comente, compartilhe e não se esqueça de me seguir nas redes sociais!

Siga @ADemaisblog e @BruPaivac no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog e @BrunaPaivaC no Instagram

Por que nunca falamos nada?

“Por que nunca falamos nada?”

Enquanto olhavam para nossas coxas e nos convenciam de que imaginávamos coisas

“Por que nunca falamos nada?”

Quando os abraços eram apertados demais

“Por que nunca falamos nada?”

Quando os sussurros ambíguos nos deixavam confusas

“Por que nunca falamos nada?”

Quando nos colocavam em situações constrangedoras e não tínhamos como sair

“Por que nunca falamos nada?”

Enquanto ouvíamos em tom de deboche que éramos loucas e precisávamos de terapia

“Por que nunca falamos nada?”

Quando o único alento éramos nós mesmas

“Por que nunca falamos nada?”

Quando relacionamentos entre meninas de 14 e homens de 50 eram naturalizados

“Por que nunca falamos nada?”

Enquanto ouvíamos rastros de conversas obscenas

“Por que nunca falamos nada?”

Quando tínhamos medo

“Por que nunca falamos nada?”

Por que não seríamos ouvidas.

 

Gostou do post? Então, comente, compartilhe e não se esqueça de me seguir nas redes sociais!

Siga @ADemaisblog e @BruPaivac no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog e @BrunaPaivaC no Instagram

A bailarina

“Você é bailarina?”

Fernanda tirou os olhos do livro ao ouvir a pergunta. A plataforma pouco movimentada à espera do metrô não deixava muita dúvida de que era com ela que falavam. Sem tirar as costas da parede, olhou para baixo e logo encontrou a dona daquela voz delicada a encarando, esperando uma resposta.

“Já fui”, respondeu confusa observando a garotinha. Corpinho franzino que parecia começar agora o processo de puberdade. Vestida com o uniforme de uma das maiores escolas de dança da cidade, ela trazia os cabelos bem presos num coque amarrado por fita azul e as mãos segurando as alças da mochila. Uma mulher de meia idade observava a cena de não muito longe.

“Dá pra ver”, a menina falou apontando com a cabeça para os pés de Fernanda, que riu ao perceber as próprias pernas em primeira posição. Hábito involuntário. Uma vez bailarina, sempre bailarina.

“Você não dança mais?”

“Tive que parar”, respondeu fechando o livro e desmanchando a posição dos pés. Se escorou de lado na parede, passando o peso para uma perna só. “E você? Essa escola aí é boa, hein…” , falou apontando para a camisa da menina.

“É! A melhor da cidade! Estou começando a subir na ponta!” A menina sorriu empolgada, fazendo Fernanda sorrir de volta.

“Que legal! Esse é um momento importante, né? Tem que se dedicar muito.”

“É… É difícil. Dói muito. Você subia na ponta?”

“Subia. Subia, sim.”, Fernanda respondeu com um suspiro e a criança a encarou na espera da explicação que não veio.

“Por que você não dança mais?”

Fernanda mordeu o lábio e desviou os olhos pro trilho vazio antes de responder.

“Eu me machuquei… Aí não pude continuar.”

“Se machucou dançando?”

“Foi.”, respondeu com a cabeça fora dali. O trabalho, os ensaios, as conquistas. O palco, o solo, a variação tão desejada. A temporada dos sonhos, a vida como sempre quis. O salto, a queda, o silêncio, o público, o alvoroço. A dor, o desespero, a correria, os rostos assustados. O socorro, o hospital, os médicos, a cirurgia, o pavor. As sequelas, a negação, a fisioterapia, a insistência, o veredito: sonho destruído.

“Eu não quero parar. Eu amo dançar. Quero dançar a vida inteira.”

A menina recomeçou a falar obrigando-a a voltar para o presente. Fernanda sorriu não podendo evitar que seus olhos enchessem de lágrimas. Se reconheceu na pequena.

“Então se dedique muito. E se cuide direitinho…”

A mulher que até então apenas observava a cena finalmente se aproximou, colocando o braço em volta da criança

“Filha, chega de perturbar a moça.”

“Não, imagina… Uma graça a sua filha.”

“Obrigada.”

“Mãe, ela é bailarina. Quer dizer, era. Aí a gente está aqui conversando coisas de ballet”

Fernanda riu ainda tentando disfarçar os olhos molhados. Antes que pudesse responder, um metrô apareceu na plataforma.

“É o nosso.”, falou a mãe da criança. Era o dela também, mas Fernanda preferiu fingir que não, esperaria sozinha pelo próximo carro.

“Qual o seu nome?”, perguntou antes que a criança fosse embora.

“Fernanda!” Riu da coincidência, guardando-a para si mesma e falou:

“Boa aula, Fernanda. Não desista dos seus sonhos” a menina agradeceu alegre e Fernanda sorriu de volta, murmurando um “boa sorte”, enquanto o vagão ia embora.

Bruna Paiva

Gostou do post? Então, comente, compartilhe e não se esqueça de me seguir nas redes sociais!

Siga @ADemaisblog no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog e @BrunaPaivaC no Instagram

3 canais de moda com menos de 200 mil inscritos pra você acompanhar!

Apesar de não ser um assunto que eu abordo aqui no blog, uma das minhas maiores paixões é a moda. Eu amo me arrumar, acompanhar as tendências e passo horas estudando sobre o assunto porque realmente acho muito interessante. Não falo de moda aqui porque, apesar de ser apaixonada, não é minha área. Por isso, trouxe no post de hoje, três canais no Youtube de blogueiras que falam de moda de um jeito incrível e têm menos de 200.000 seguidores. Elas dão dicas maravilhosas, desmistificam tabus e simplificam as coisas.

 

  • Vitória Portes

A Vitória é lá do Sul. Ela tem 68 mil inscritos e o canal dela é majoritariamente sobre moda. Ela dá dicas, faz tutoriais, fala sobre tendências, tabus e  tem vídeo novo três vezes por semana!

 

  • Mari Flor

O canal Closet da Mari é 100% sobre moda. Ela ensina como usar cada peça, dando ideias de looks e tem até uma série sobre estilos pra você descobrir qual é o seu!

 

  • Camila Gaio

A baiana Camila Gaio também fala MUITO sobre moda em seu canal. É uma dica melhor que a outra sobre tendências e as melhores formas de usar cada peça.

 

Gostou do post? Então, comente, compartilhe e não se esqueça de me seguir nas redes sociais!

Siga @ADemaisblog e @BrunaPaivaC no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog e @BrunaPaivaC no Instagram

Como anda sua educação financeira?

Assim que 2018 começou, eu tomei uma importante decisão pra minha vida. Resolvi que esse ano começaria a cuidar melhor da minha vida financeira. Nunca fui de gastar horrores, nem nada do tipo, mas confesso que nunca tive muito controle sobre meus gastos. Às vezes o dinheiro acabava e eu não tinha noção do quanto havia gastado e com o que.

No início de Janeiro comecei a assistir ao canal Me Poupe, da Nathália Arcuri e acreditem: mudou minha vida. Quando a gente aprende a entender e organizar melhor nosso dinheiro, as coisas ficam realmente mais claras e fáceis. Em dois meses, comecei a poupar e gastar mais consciente do que estava fazendo.

Inclusive me lancei um desafio: até o fim de 2018, não vou comprar roupas ou livros que não sejam extremamente necessários e, não, liquidações e promoções relâmpago não entram nessa extrema necessidade. Parece besteira, mas roupas e livros são a maior fonte do meu consumismo. Quero aprender a usar melhor o que já tenho no armário e de fato ler todos os livros que comprei e estão lindos na estante. Com essa promessa que os deuses do autocontrole vão me ajudar a cumprir, eu diminuí bastante aqueles gastos sem planejamento que acabam com o dinheiro de qualquer um.

A gente peca muito em não ter uma educação financeira desde cedo. Se todo mundo soubesse medir gastos,  se organizar melhor e não tivesse vergonha de falar sobre dinheiro, as pessoas não se endividariam tanto. Mas o que é preciso pra começar a cuidar melhor do meu dinheiro e não gastar sem medida? Aqui vão algumas dicas de coisas que eu faço e que podem te ajudar também!

  • Organização é TUDO!

Isso mesmo, se você não sentar para realmente encarar seus ganhos, gastos e despesas, tudo vai continuar uma nuvem confusa sobre a qual você não tem o menor controle. Pegue um caderno e, da forma que for mais claro para você, esquematize quanto dinheiro você ganha, quanto você vai poupar (sim, isso é muito importante), quanto precisa para as contas e quanto sobra. Se não sobra, você precisa e MUITO da próxima dica!

  • Nathália Arcuri, deusa da minha vida!

Assim que terminar esse texto, pare tudo que você estiver fazendo e corra para o Canal Me Poupe. Grande parte do que eu venho aplicando na minha vida eu aprendi com a Nathália. Ela desmistifica tudo em relação a dinheiro e não tem como terminar aqueles vídeos sem virar a louca da educação financeira. Sério, corre para a Nath que sua vida financeira já começa descomplicar!

 

  • Aprenda a gastar menos quando você pode!

Não é vergonha nenhuma comprar as coisas com desconto. Aliás, se você está pagando mais barato por algo que normalmente seria bem caro, você devia era ficar feliz e sair saltitando por aí. A gente tem essa cultura de que é feio pedir desconto, mas isso só faz com que a gente perca dinheiro. Mas tudo bem, hoje em dia existem maneiras para a gente conseguir descontos ótimos sem nem sair de casa.

O site Cupom Válido é um desses meios. Lá tem cupons de descontos para as mais diversas lojas do Brasil. Tem moda, maquiagem, livros, eletrônicos, restaurantes e muito mais.

E é muito simples conseguir pagar menos pelas suas compras. É só correr lá no https://www.cupomvalido.com.br/, procurar a loja que você precisa e conferir os descontos disponíveis para aquele dia ou semana. Tem cada promoção maravilhosa e você pode dar adeus aos gastos exorbitantes! Vai comprar as coisas que precisa, pagando preços bem melhores.

 

Começando por essas coisas pequenas, depois que você entra no mágico mundo da educação financeira, não quer sair nunca mais. E então? Está esperando o que para começar?

 

Gostou do post? Então, comente, compartilhe e não se esqueça de me seguir nas redes sociais!

Siga @ADemaisblog e @BrunaPaivaC no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog e @BrunaPaivaC no Instagram

Diário de uma entediada

137. Acabo de contar as 137 viradas do ventilador no chão de um lado para o outro, nos últimos minutos. Já lavei a louça. Três vezes. Fiz comida, fui malhar, voltei e tomei um banho. Cá estou terminando mais uma temporada de Friends. A penúltima. Fiz pipoca, bolo e mousse de maracujá. MEU DEUS, ainda são três e meia da tarde.

Não, eu não aguento mais essa casa. Não aguento mais esse ócio em que fui obrigada a entrar pelos últimos três meses.

Li tantas coisas que não tenho mais ânimo para continuar o livro que comecei ontem, os projetos estão em dia e literalmente não tenho mais nada para fazer. Já limpei meu quarto, arrumei minha estante, montei um caderno de planejamento da minha vida financeira, tirei todas as roupas do armário e separei o que eu não uso para doar, arrumei as gavetas e o armário de maquiagem e traduzi poemas de uma autora guatemalteca.

Assisti a toda sorte de filme clichê adolescente, de Lindsay Lohan a Larissa Manoela, tirei todas as roupas do armário de novo e montei looks que não vou usar tão cedo, desenterrei um livro de matemática para tentar resolver funções que só me estressaram porque não lembro mais como lidar com elas. Fiz todo tipo de receita caseira para esfoliação da pele e hidratação do cabelo. Montei dezenas de playlists parecidas, reassisti aos dvds ao vivo de Restart e RBD e varri até o quarto do meu irmão. Firmei compromisso com a Netflix, mas, por mais que eu ame, EU NÃO AGUENTO MAIS ASSISTIR FRIENDS.

O tédio tomou conta de mim de uma maneira tão intensa que ontem me vi obrigada a baixar o tinder para tentar ter conversas empolgantes. Tudo que consegui foi lembrar por que havia excluído o aplicativo da última vez. Meus dias têm terminado em conversas com amigos que se sentem da mesma forma e assistindo ao Big Brother com um grande interesse nas festas e intrigas dos outros.

Caras férias, com todo o respeito, eu não aguento mais vocês. Como medida preventiva contra meu enlouquecimento, eu suplico: me devolvam a minha rotina corrida.

Bruna Paiva

Gostou do post? Então, comente, compartilhe e não se esqueça de me seguir nas redes sociais!

Siga @ADemaisblog e @BrunaPaivaC no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog e @BrunaPaivaC no Instagram

Fim do especial de carnaval: obrigada a quem acompanhou!

Acabou o especial de Carnaval e eu estou muito feliz por ter conseguido botar esse projeto em prática. Amei passar meu carnaval interagindo com vocês e também acompanhando a história de Aline e Diego.

Obrigada a todo mundo que acompanhou, vibrou com a história, indicou para os amigos, deixou seus comentários e estrelinhas lá no Wattpad para mim. Obrigada também a quem me ajudou por trás da história. Meu pai JM Costa, que revisou e editou o conto e me ajudou na divulgação; meu irmão Tiago Paiva, que fez a capa do conto e as cartelas para a divulgação; meu amigo Matheus Rodrigues, que foi meu beta reader e o primeiro a torcer pelo final feliz de Aline e Diego; e, claro, à minha família e amigos pelo apoio de sempre!

Foi só o primeiro projeto concluído do ano. 2018 promete muitas outras novidades e eu já estou trabalhando para isso! Ah, e se você não acompanhou o conto durante o carnaval porque estava curtindo os bloquinhos, calma que ainda dá tempo!  “Enquanto o carnaval durar” ainda vai continuar um bom tempo lá no Wattpad.

Indiquem para os amigos! Espero vocês por lá no Wattpad e por aqui no blog!

Beijos

Bruna Paiva

Gostou do post? Então, comente, compartilhe e não se esqueça de me seguir nas redes sociais!

Siga @ADemaisblog e @BrunaPaivaC no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog e @BrunaPaivaC no Instagram

Dois canais de mulheres maravilhosas, que eu conheci nesse início de ano!

Gente linda da minha vida! Férias é aquela época que a gente tem tempo para assistir as séries atrasadas pelo fim de período, ler o que não deu tempo no último ano e, claro, descobrir coisas novas nesse maravilhoso mundo da internet. Em duas semanas de 2018 eu conheci duas mulheres sensacionais que produzem um conteúdo maravilhoso para o Youtube, e, como tudo que é bom tem que ser disseminado por aí, é claro que eu precisava compartilhar com vocês!

 

Canal Me Poupe! – por Nathália Arcuri

Você quer educação financeira, @? Porque com a Nathália é isso que você vai ter. O canal Me Poupe é maravilhoso para quem quer aprender a organizar seu próprio dinheiro, economizar, investir, realizar sonhos… É um vídeo melhor do que outro esclarecendo vários assuntos de forma divertida e muuito didática. É incrível e eu simplesmente não consigo parar de assistir.

 

Canal Sobre Elas – por Emy Lobo

Eu descobri o canal da Emy pelo Instagram, e quando percebi sobre o que se tratava, fiquei apaixonada e comecei a assistir um vídeo atrás do outro. O canal Sobre Elas é pequeno, está começando, mas já tem um conteúdo incrível. É empoderamento puro trazendo informações sobre teoria feminista, documentários sobre machismo e o incrível projeto #Sobremachismonoaudiovisual. É maravilhoso, se você começar, não vai conseguir parar nunca mais!

 

Já conhecia algum dos dois canais? Conhece algum outro que eu iria amar? Conta pra mim! Adoro ler as sugestões de vocês!

 

Gostou do post? Então, comente, compartilhe e não se esqueça de me seguir nas redes sociais!

Siga @ADemaisblog e @BrunaPaivaC no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog e @BrunaPaivaC no Instagram

CLIQUE AQUI PARA VISITAR O ADOLESCENTE DEMAIS NO YOUTUBE