1808- uma aula de História esclarecedora

Livro_1808_Edicao_Especial_9788542203318_1469360Você presta atenção às suas aulas de história? Eu vou confessar que nunca foi minha matéria preferida. Entretanto, desde que comecei a prestar mais atenção às aulas, passei a gostar mais de estudar o passado. É quase como ler um romance, a diferença é que a história é real e tem o mundo de hoje como consequência.

Esse interesse pela disciplina me levou ao livro 1808, de Laurentino Gomes. A obra é uma aula de história completa sobre a vinda da Família Real Portuguesa para o Brasil. Eu amei o livro.

Além de contar o que aconteceu no ano de 1808 de uma forma muito mais divertida que as aulas da escola, o livro é esclarecedor. Digo isto porque quem lê percebe que o país não mudou quase nada no que diz respeito a questões sociais e culturais.

Sempre ouvi dizer que a corrupção está nas raízes dos brasileiros, e agora percebo que infelizmente é a verdade sem tirar nem pôr. Os brasileiros lidam, suportam, fingem que não veem e praticam a corrupção desde o início do país. Ninguém faz nada sobre isso desde aquela época.

O jeitinho brasileiro? Adivinhem. Começou por lá também. Aliás, veio dos próprios portugueses que concediam privilégios políticos em troca de favores, desviavam dinheiro, entre outras maneiras de se corromper. O povo brasileiro nasceu no meio dessa loucura. Não é difícil perceber a plena ligação do passado com o presente.

A falta de educação que hoje presenciamos por aí, também não fica atrás. Em 1808 ninguém praticava higiene, bons modos ou respeito pelos outros. Pessoas comiam sem talheres e isso era encarado com normalidade. O rei D. João, que possui um histórico pífio de banhos em toda sua estadia no Brasil, foi diversas vezes flagrado defecando nos jardins do palácio, onde hoje temos a Quinta da Boa Vista. Já estendeu sua toalha naquele chão para um piquenique? Pois é, tive a mesma sensação.

A parte mais tocante do livro, que ganhou o Prêmio Jabuti, é a que trata da escravidão. A injustiça humana é algo que me revolta demais. Não consigo ler nada sobre nazismo sem cair em lágrimas. A escravidão tem o mesmo efeito. Um livro que era para ser informativo, me fez chorar com as descrições reais de condições desumanas com que pessoas eram tratadas quando feitas de escravos.

O livro, que foi resultado de uma pesquisa gigante do autor(incluindo consultas a bibliotecas de Portugal e outros países),  éIMG-20150906-WA0027 maravilhoso e tem mais duas sequências: 1822, que se passa durante o processo de  independência do país, e 1889, que conta a proclamação da República. Encontrei com o autor na Bienal do Livro, como já contei aqui pra vocês, e ele foi super simpático comigo.

Também na Bienal, encontrei uma versão dos livros voltada para o público infantil. Repletos de ilustrações, é uma ótima ideia para fazer as crianças se interessarem pela história do país.

Na versão original, a leitura é pesada, mas essencial para quem vive no Brasil de 2015. Principalmente aqueles que amam falar de política sem ter muitos argumentos.

Engraçado perceber que 207 anos depois as pessoas continuam acatando algumas imposições do governo e injustiças sociais sem questionar ou lutar mais por seus direitos. Ao ler 1808, percebi que Cazuza tinha razão: vivemos num museu de grandes novidades.

Bruna Paiva

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog no Instagram

Anúncios

Minha tão esperada visita à Bienal

IMG-20150906-WA0032

Lançamento do livro Não Olhe, de FML Pepper

Sem dúvidas o evento mais esperado do ano, a XVII Bienal do Livro do Rio de Janeiro começou no dia 3 de setembro. Eu, como não podia deixar de ser, contei os dias para a minha visita, no último domingo, 06-09. Amo a Bienal e me lembro de cada edição que passei por lá, desde bem pequenininha. Cresci no meio dos livros e esse evento é uma espécie de paraíso para IMG-20150906-WA0016mim. Cheguei com a lista pronta e já sabendo o que queria em cada pavilhão, ainda assim, mudei planos por algumas surpresas que encontrei nas editoras.
Os stands, a cada ano mais criativos, dão um quê a mais de magia aos livros. As decorações de que eu mais gostei foram as da Novo Conceito e da Companhia das Letras. A primeira tem reproduções de páginas e capas gigantes, além de livros pendurados e uma ilha com carregadores de celular para os leitores. A segunda, é decorada com painéis de LED anunciando os lançamentos e uma estante enorme com vários títulos diferentes no portal de entrada.

Encontrei com alguns autores e, claro, saí com autógrafos!

IMG-20150906-WA0030

Com a FML Pepper e suas mortes…

Primeiro, fui ao lançamento do livro Não Olhe, da FML Pepper, na Editora Valentina e amei. A autora autografava acompanhada de personagens de seu livro que eram a cara da morte. E que morte, viu! Até senti que minha hora estava próxima… Como não tinha lido o primeiro da série, comprei Não Pare para começar. Enquanto autografava meu livro ela me deixou super à vontade para “ir morrendo” com seus personagens e depois se juntou à brincadeira.

IMG-20150906-WA0027

Com Laurentino Gomes no stand da Globo

Quando entrei na Editora Globo, tive uma grande surpresa: o autor Laurentino Gomes autografava seus livros 1808, 1822 e 1889. Recentemente, li o 1808 e adorei, em breve sai a resenha aqui no blog. Entrei no stand da editora justamente em busca do 1822. Quando soube que o autor estava lá, corri para a fila de autógrafos. Laurentino foi super simpático e ainda me desejou boa sorte no vestibular. Quando me perguntou o que eu queria fazer da vida e eu disse que cursaria comunicação, mas queria ser escritora, ele falou “Ah, então está na minha área!”

IMG-20150906-WA0012

Com a Mari Mortani

No stand da Novo Conceito, encontrei com a amiga Mari Mortani, do blog Magia Literária. Ela estava prestes a começar a mediação de um bate-papo com a autora Vanessa Bosso. Não pude ficar para participar porque ainda precisava fazer algumas coisas antes de ir embora, mas tenho certeza de que foi divertido. Aliás, a Mari vai estar na Bienal quase todos os dias para mediar debates e bate-papos com autores da Novo Conceito.

Rodando pelos Pavilhões, precisei parar para tirar foto em alguns lugares. A Mônica gigante me fez lembrar de uma infância repleta dos quadrinhos de Maurício de Souza. IMG-20150906-WA0013Este, aliás, impressionante. Do alto de seus 80 anos, o grande homenageado desse ano na Bienal autografava seus gibis sorridente e simpático para uma fila de fãs de todas as idades.  Um Christian Figueiredo gigante também me fez parar para um registro. Já no fim da minha visita, tive a sorte de cruzar com a fofa da Babi Dewet no estacionamento. Lógico que precisei pedir uma foto, né…

IMG-20150906-WA0018

Com a Babi Dewet no estacionamento

A única coisa que eu estranhei foi a logística de distribuições das editoras. Ao todo, são três Pavilhões. Entretanto, é no Pavilhão Azul que estão todas as grandes editoras, além de muitas distribuidoras e livrarias. Passei cinco horas só lá! Enquanto isso, o Pavilhão Verde era mais voltado para o público infantil, e o Laranja era das editoras universitárias e algumas distribuidoras. Acho que poderiam ter distribuído melhor para não concentrar todo mundo num lugar só.

IMG-20150906-WA0017

Alguns dos livros que comprei

Ainda assim, eu amei o passeio e pretendo voltar. A Bienal está linda e acontece até o dia 13, domingo, com uma programação incrível e vários autores convidados como Sophie Kinsella, Anna Todd e outros. No último domingo do evento (dia 13-09), que é quando eu pretendo voltar, vai rolar um lançamento que fará o Riocentro tremer. Quatro das autoras mais queridas pelo público jovem no país lançam, juntas, o livro Um Ano Inesquecível pela editora Gutenberg. Thalita Rebouças, Paula Pimenta, Bruna Vieira e Babi Dewet com toda a certeza vão levar um público enorme!

Deixo aqui pra vocês a lista dos livros que trouxe em minha primeira visita à Bienal. Grande parte deles vai acabar ganhando resenha aqui no blog!

  • Um Ano Inesquecível – Paula Pimenta, Babi Dewet, Bruna Vieira e Thalita Rebouças (Ed. Gutenberg)
  • Não Pare – FML Pepper (Ed. Valentina)
  • Eu Sou Malala – Malala Yousafzai (Ed. Cia das Letras)
  • 1822 – Laurentino Gomes (Ed. Globo Livros)
  • O Misterioso Caso de Styles – Agatha Christie (Ed. Globo Livros)
  • Cartas de Amor aos Mortos – Ava Dellaira (Ed. Seguinte)
  • Apenas Um Ano – Gayle Forman (Ed. Novo Conceito)
  • Apaixonada Por Histórias – Paula Pimenta (Ed. Gutenberg)
  • Eu Odeio Te Amar – Liliane Prata (Ed. Gutenberg)
  • Muito Mais Que 5 Minutos – Kéfera Buchmann (Ed. Paralela)
  • O Réu e o Rei – Paulo César De Araújo (Ed. Cia das Letras)
  • Joyland – Stephen King (Ed. Suma de Letras)
  • Eu Fico Loko 2 – Christian Figueiredo de Caldas (Ed. Novas Páginas)
  • Dias Perfeitos – Raphael Montes (Ed. Cia das Letras)

Bruna Paiva

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog no Instagram