6 blogs que eu não consigo parar de ler

Adoro conhecer blogs novos e sempre corro atrás de posts legais para ler. O problema é que acabo abandonando maioria dos blogs que descubro. Mas quando o lugar me conquista de verdade não tem o que me faça largar. Então, hoje vou contar pra vocês quais são os blogs que eu mais acompanho. Aliás, nesses eu entro quase que diariamente em busca dos posts de cada um… Vamos à lista:

1- Depois dos Quinze

O blog da Bruna Vieira sempre foi inspiração pra mim e isso não é segredo pra ninguém. Faz tempo que infelizmente a Bru não posta textos dela por lá, mas a equipe do blog é muito boa e vários livros com textos dela já foram publicados. Sempre procuro dicas de roupas, produtos de beleza e nailarts. Ela também fala de música e sempre tem umas playlists bem animadas. As crônicas casuais nunca decepcionam.

2- Babi Dewet

Também já contei aqui que adoro o blog da Babi. Ela está sempre mostrando as novidades e trazendo coisas diferentes para o blog. Também fala de literatura e eu adoro as resenhas de livros postadas lá. Fora que a blogueira é uma fofa e tem um jeito todo especial de falar com os leitores.

3- Isabela Freitas

O que eu mais gosto no blog da Isabela são os textos. Ela prega o desapego e a valorização da mulher, e até lançou um livro por causa do blog (leia a resenha aqui).Ela tem uma boa interação com os leitores também, como na seção “Conte sua história”. E uma das coisas legais é também o Banheiro Femenino e o Banheiro Masculino, que são bate-papos sobre vários assuntos, mas um só com meninas e outro só com meninos.

4- Coisas Fúteis

O blog da carioca Estefanie Ribeiro, diferente do que pode parecer pelo nome, de fútil não tem nada. Adoro as crônicas dela e me identifico muito com alguns posts do Coisas Fúteis. Gosto de acompanhar o blog porque ela fala de tudo um pouco e eu acho legal essa diversidade.

5- Precisava Escrever

 

O Precisava Escrever é um blog que constantemente me arranca suspiros, sorrisos e, confesso, lágrimas. O Rafael Magalhães posta apenas textos dele no blog. A frequência de posts no Precisava Escrever é menor do que nos outros, mas cada texto vale muito a pena ser lido. Me vejo em vários dos contos e crônicas escritos por ele e estou louca para ler o livro lançado há pouco tempo.

6- (Des)apontamentos

Esse é o antigo “Diário de uma Adolescente”, da portuguesa Daniela Nogueira. Simplesmente adoro o blog da Dani  e ele é sempre um dos primeiros sites que eu abro. Ela mudou o nome e o layout do blog, e eu A-MEI o visual novo. O (Des)apontamentos é bem parecido com o AD, lá a Dani fala de tudo o que ela gosta, do que não gosta e posta textos autorais também.

Bom pessoal, esses são os blogs que eu mais curto e acompanho. Cada um vale muito a pena ser conhecido.

Beijão,

Bruna Paiva

 

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Não se Apega, Não – o livro da Isabela Freitas mexeu comigo

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Quem lê o título do livro “Não se Apega, Não” sem saber do que se trata, pode ficar tentando a achá-lo fútil. Deve ser um livro de auto-ajuda mandando as garotas saírem por aí pegando geral. Se você pensa assim, vai se surpreender.

Digo isso porque foi exatamente o que eu pensei quando vi o livro da Isabela Freitas. Mesmo já conhecendo o blog da Isabela, fiquei com o pé atrás e, confesso, um certo preconceito. Mesmo assim, decidi levar o “Não se Apega, Não” para ver qual era a do livro.

Caramba. É óbvio que quebrei a cara e o livro não era nada do que eu pensava. A Isabela mistura romance e auto-ajuda, ficção e realidade… E, com sinceridade, acho que toda garota que já sofreu uma decepção amorosa devia ler esse livro.

No quarto capítulo eu já estava refletindo sobre váaarias coisas da minha vida. Até postei um texto aqui inspirada por ele. O livro conta várias passagens da vida amorosa de Isabela. E tudo começa depois que ela termina um namoro de dois anos.

A protagonista tem que reaprender como é ser solteira e resolve desapegar dessa paranóia de ter que encontrar alguém. Ninguém “tem que” nada. Desapegar não é sair por aí pegando geral e beijando a primeira boca que vir pela frente. É deixar pra lá tudo o que te faz mal, sabe? Não se importar com o que os outros vão dizer…

O que a Isabela, que também é blogueira, prega no livro é que não devemos sair por aí feito loucos procurando o amor em cada cantinho. Ele vem para os desavisados, os que não estão o esperando. E eu concordo com ela. Não adianta nada achar que você “tem que” arrumar um namorado.

Já passei por isso de querer ter alguém do meu lado e dizer “eu preciso de um namorado”. E na real? Não, não preciso. Ninguém precisa. O amor não pode ser uma coisa que você sai caçando como em um Jogos Vorazes da vida real…

O “Não se Apega, Não” foi publicado pela Intrínseca, que parece começar a dar mais atenção a nós blogueiras (uhul). O livro é muito bom e realmente valeu a pena passar por cima do meu preconceito inicial…

Bruna Paiva

 

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Quem, no fundo, é Bruna Paiva?

1901990_712270282128293_756692284_nAcabo de terminar o quarto capítulo de um livro que tem me feito pensar bastante. O livro é o “Não se Apega, Não” da Isabela Freitas, e provavelmente vai vir parar aqui na seção “Na Estante”. Mas não consegui esperar o fim para escrever inspirada nele. O que acontece é que, dentre os vários questionamentos que este livro tem me causado, um me intrigou muito nesta tarde: quem sou eu?

No fundo, sério, quem é a Bruna?

Sou uma garota de 16 anos que não se considera nem mulher nem menina, talvez um pouco adolescente demais. Que não anseia nem um pouco por completar 17 porque acha uma idade sem graça, sem sal. Meio insegura e durona, talvez fria ou grossa demais e ao mesmo tempo sensível e frágil.

Sou uma garota que morre de medo de ficar sozinha em casa à noite. Que dorme agarrada num ursinho chamado Charlie Brown, isso mesmo, em homenagem à banda. Que sonha acordada antes de pegar no sono e quando está no chuveiro. Sou uma menina que cada vez que está de frente com algum de seus ídolos volta a ter 11 anos de idade e chora como se não houvesse amanhã.

Uma menina que, assim como a personagem do livro, gosta de acreditar no melhor das pessoas. E que já se ferrou bastante por causa disso. Alguém que já sofreu com amores e desamores, amizades e desamizades… E que, por mais que seja avisada, só consegue aprender com os próprios erros, vendo o próprio sangue derramado.

Sou blogueira. Aprendi a amar o meu blog e ter certeza de que ele é um dos meus projetos de vida. Uma garota que ama contar histórias e que, sim, sonha em ser uma grande escritora. Sou uma bailarina que se esforçou muito para passar por alguns obstáculos e que ainda pretende passar por muitos outros. Gosto de sonhar alto e acredito nos meus ideais.

Sou uma menina que não arrisca entrar com o pé esquerdo em lugar nenhum. E que não tira um pingente de olho grego do pescoço por nada nesse mundo. Passar em baixo de escada? Nem pensar. No Ano Novo, pulo 7 ondas e me visto de branco. Superstição? Pode até ser, mas não gosto de dar chance pro azar.

Uma garota que se derrete de tanto chorar assistindo às comédias românticas. Que não assiste nem lê nada de terror de maneira alguma, caso contrário, o medo de ficar sozinha de noite só aumenta.

Sou uma garota que deveria estar estudando para a próxima prova de História à essa hora, mas que não conseguiu se concentrar em D. Pedro com toda essa questão pairando na cabeça.

Tenho sonhos e metas que traço para minha vida. Só consigo me desestressar escrevendo ou dançando. Tenho mania de deixar tudo acumulado dentro do peito e um dia explodir por alguma coisa idiota. Uma adolescente que como muitas outras queria mudar o cabelo, mas ao mesmo tempo gosta dele natural…

A Bruna é uma garota que não é cercada de milhares de amigos, mas os que têm são os melhores do mundo. Ela adora ter amigos meninos e se diverte com as besteiras que eles falam. Defende que a amizade entre sexos opostos é possível sim, e é uma das melhores.

Uma garota que prefere Twitter a Facebook, Qualy a manteiga e amendoim a castanhas. Que devora em horas um pacote de pão de forma completamente puro. Que ama usar batom vermelho, mas não arrisca nada além do nude para ir pra escola.

Uma aluna que pira com cada nota baixa mesmo que ela não signifique nada além de falta de atenção ou dificuldade em determinada matéria. Sou alguém que tem paixão pela leitura e a quem ela acabou trazendo até este texto.

Sou uma menina, uma mulher, uma blogueira, uma aluna, uma bailarina, uma sonhadora e, na real, tudo o que eu quiser ser… Não sei se essa que descrevi ainda serei eu daqui a uns cinco ou dez anos, mas acho que, por hora, consegui responder a essa questão que cismava em voar aqui dentro da minha cabeça.

Talvez agora eu devesse parar de pensar nisso e voltar para as aventuras de D. Pedro. Porque, sinceramente, não acho provável que minha professora me pergunte quem, no fundo, é Bruna Paiva…

 

Bruna Paiva

 

Siga @ADemaisblog  no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook