Livros que me surpreenderam X livros que me decepcionaram

book-254048_960_720

Eu amo ler. Sempre gostei muito, desde bem pequena. Por isso, estou sempre nas livrarias físicas e online procurando livros que me agradem. Adoro olhar os livros que mais fazem sucesso no Brasil e lá fora também. Como leio muito, sempre há aqueles livros que surpreendem. Em contrapartida, também existem aqueles em que eu coloco uma super expectativa e acabam me decepcionando.

A lista de hoje traz cinco livros que me decepcionaram e cinco que me surpreenderam!

LIVROS QUE ME DECEPCIONARAM:

1-      As vantagens de ser invisível

Sim, o queridinho de um monte de gente me decepcionou, e muito. Era um livro de que todo mundo estava falando bem. E o filme tinha, como protagonista, minha querida Emma Watson. Resolvi ler o livro primeiro e não gostei. Achei a história arrastada demais, chata toda vida. Acho que sou a única pessoa no universo que não gostou desse livro. Já que, toda vez que o digo, alguém olha pra mim como se eu fosse um extraterrestre…

 

2-      Um amor para recordar

Acho que esse foi o único livro do Nicholas Sparks que li e não gostei. Talvez porque eu esperasse demais dele. Assisti ao filme antes de lê-lo, e esse é um dos raros casos em que o filme é absurdamente melhor. O livro perde um pouco a graça se você já assistiu ao filme. Isso porque, na adaptação para cinema, algumas coisas foram mudadas e a história ficou muito mais emocionante…

 

3-      Cidade dos Ossos

Não, eu não gosto de Os Instrumentos Mortais. Assisti ao filme e achei horrível. Mas como muitos fãs também odiaram a adaptação, resolvi dar uma chance para o livro. Li Cidade dos Ossos com a maior boa vontade do mundo. Ainda assim, achei um saco. A autora mistura muitas mitologias numa coisa só. Tem demônio, vampiro, lobisomem, sociedades secretas, anjos… Sei lá, achei muito confuso. Me decepcionou porque eu realmente queria gostar da série…

 

4-      Eu, você e a garota que vai morrer

Esse é o típico livro que você está louco para ler, pede de presente e quando começa se decepciona. A sinopse parecia incrível, a capa é linda e a história vai até virar filme. Mas a cada página que eu lia pensava “mas é só isso, mesmo?”. Não gostei. Achei a história arrastada e os personagens não conquistam.

 

5-      A Esperança

Sim, Jogos Vorazes é uma das minhas trilogias favoritas. Não, eu não gostei do final. Amo os personagens, amo a história. Mas o último livro me decepcionou demais. Achei o final jogado, não gostei do desfecho, das mortes desnecessárias, nem da maneira como as coisas acontecem. Esse é um livro que dói no coração não ter gostado. Mas infelizmente o desfecho de uma das minhas séries favoritas é um dos livros que definitivamente não é meu favorito.

 

LIVROS QUE ME SURPREENDERAM:

1-      Capitães da Areia

Essa obra prima de Jorge Amado se tornou um dos meus livros preferidos da vida. Peguei o livro esperando que fosse mais uma leitura clássica daquelas que todo mundo precisa fazer. Terminei tendo a certeza de que todos precisam ler. Não por ser clássico, mas porque é um livro absurdamente incrível. Um assunto atual e que me tocou de uma maneira que eu não esperava. Leia a resenha completa do livro.

 

2-      Morte Súbita

Sou fã de Harry Potter. Quando percebi que Morte Súbita, da mesma autora, não tratava nem mesmo de fantasia, me decepcionei. Confesso que achei a primeira parte bem chata. Mas depois que você entra na história e se envolve com os personagens, não tem como não se apaixonar. É incrível e me trouxe uma das minhas personagens preferidas da vida: a Krystal. Lei a resenha completa do livro.

 

3-       Quero ser Beth Levitt

Esse livro ganhou uma resenha recentemente aqui no blog. Comecei a ler achando que a história falava de dança. Me enganei, mas ainda bem que eu insisti na leitura. A história me emocionou e me surpreendeu de verdade. A cada acontecimento inesperado ela me conquistava um pouco mais. Lei a resenha completa aqui.

 

4-      Quem é você Alasca?

Esse é um dos meus livros favoritos. Li na época em que a moda era A culpa é das estrelas. E me surpreendi ao perceber que a história de Alasca era muito mais intensa. Me identifiquei com a protagonista, ri, chorei e terminei o livro com uma baita ressaca literária. É uma história incrível que vale a pena ser lida e que me marcou muito. Leia resenha completa aqui.

 

5-      Para onde ela foi

Esse livro é a continuação de Se Eu Ficar. Achei o primeiro livro melancólico demais. A história é extremamente triste e a protagonista não me conquistou. Achei Mia meio chata e sem graça. Já o segundo livro é narrado por Adam Wilde e me surpreendeu por ser incrível. Amei o personagem, me identifiquei e passei a gostar mais do livro…

 

Gostou do post? Então, comente, compartilhe e não se esqueça de seguir o blog nas redes sociais!
Siga @ADemaisblog e @BrunaPaivaC no Twitter
Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook
Siga @ademaisblog e @BrunaPaivaC no Instagram
Acompanhe BrunaPaivaC no Snapchat
Anúncios

Capitães da Areia: clássico e atual

Eu na Fundação Casa de Jorge Amado, ao lado de sua máquina de escrever, durante minhas férias na Bahia.

Eu na Fundação Casa de Jorge Amado, ao lado de sua máquina de escrever, durante minhas férias na Bahia.

Muita gente tem implicância com clássicos da literatura e fala que “é chato” sem nem saber do que se trata. Se você é assim, provavelmente nem se interessou pelo título da resenha de hoje.  Mas nunca é tarde para deixar os preconceitos de lado e tentar conhecer algo novo.

O livro Capitães da Areia, de Jorge Amado, é sem dúvida um dos melhores livros que eu já li na vida. A história, escrita em 1937, infelizmente consegue ser absurdamente atual no ano de 2014.

Infelizmente? Sim. O livro conta a história de vários meninos abandonados da Bahia,que vagam pelas ruas, roubam e sobrevivem dia apósdia.  Os Capitães da Areia são os jovens ladrões mais temidos de sua região. Crianças sem pai, sem mãe, sem carinho, sem absolutamente nada.

É o tipo do livro que faz você refletir sobre sues conceitos de “bem” ou “mal”. Você consegue entender o universo daquelas crianças. Por vezes, eu juro que cheguei a comemoraralgum furto ou  golpe aplicado por Pedro Bala e companhia.

O que eu achei lindo na história foi que Jorge Amado conseguiu mostrar a humanidade, as fraquezas e o anseio pela infância, perdida, dentro de cada uma daquelas crianças abandonadas. Os sonhos de cada um, as frustrações, a culpa depois de fazer algo errado e ao mesmo tempo o sentimento de vingança para com a sociedade, tudo isso é extremamente tocante. E nos faz refletir sobre como, por vezes, simplesmente ignoramos realidades parecidas nos dias de hoje.

E no meio dessa atmosfera de tanto abandono e sofrimento, o autor conseguiu inserir o amor. Dora chega ao trapiche, a “casa” onde os Capitães da Areia dormiam, e vira mãe e irmã para todos eles. Mas para Pedro Bala,  líder do grupo, ela foi o amor.

No fim do livro, Jorge  Amado dá um destino diferente a cada personagem. A infância já não os acompanha. São adultos e têm de seguir suas vidas, sem estudos e sem muitas oportunidades. Mas as experiências como um dos Capitães da Areia ficam na memória deles para sempre.

E acho que na minha também…

 

Bruna Paiva