Mudanças

Arrumando as gavetas do quarto, acabei me deparando com um vidro de esmalte. Não qualquer um. Esmalte antigo, bastante usado, quase nada de tinta lá dentro. Era o preferido da minha versão de 16 anos.  Um rosa bem escuro, quase virando roxo. Uma cor que eu colocava nas unhas quase toda semana, porque gostava, me identificava, fazia com que me sentisse eu mesma. Fazia parte de quem eu era. A cor que todo mundo olhava e dizia “é a sua cara”.

Aquela foi uma fase tão gostosa da minha vida que demorei um certo tempo com o vidrinho gasto na mão. Uma nostalgia engraçada. Abri e descobri que o esmalte ainda estava bom. Meu primeiro impulso foi pintar as unhas.

Passei por todo o ritual de lixa, alicate, base e esmalte. Não sei bem o que estava esperando, às vezes nossas memórias nos pregam peças, mas, ao encarar minhas unhas pintadas com aquela cor que me era tão especial, não me reconheci da forma que imaginei.

Foi então que eu percebi o quanto mudei nos últimos anos. Não por algo tão trivial quanto a cor dos meus esmaltes; ainda que minha manicure usual, hoje, não saia muito da escala preto-nude-vermelho, vez ou outra eu vario um pouco. Mas a forma como aquela cor não era mais “a minha cara” me botou para pensar.

Eu não me reconheci porque realmente não sou mais a mesma pessoa. A Bruna de 16 viveu três anos, quase quatro, a menos do que eu. E anos em que minha vida mudou aos poucos, porém radicalmente.

Nós não temos gostos tão parecidos porque o tempo muda as pessoas. Talvez não completamente, já que a Bruna de 16 ficaria enlouquecida ao saber que, semanas atrás, estive com o Fiuk comemorando seu aniversário (inclusive usando o esmalte que ela tanto gostava). Mas o tempo me fez uma pessoa diferente. Não melhor ou pior, apenas diferente. Com dramas diferentes e com a cabeça modificada, mais madura, eu diria.

Eu só não havia percebido o tamanho da mudança. A Bruna de 16 não é mais tão próxima de mim quanto eu pensava. Mas algo dela segue vivendo aqui dentro. Ainda assim, guardei de volta o esmalte na gaveta, com carinho pelas lembranças que ele me trouxe, é claro. Mas, com toda certeza, na próxima semana eu volto para o meu pretinho de sempre…

Bruna Paiva

Gostou do post? Então, comente, compartilhe e não se esqueça de me seguir nas redes sociais!

Siga @ADemaisblog e @BrunaPaivaC no Twitter

Curta a fanpage do Adolescente Demais no Facebook

Siga @ademaisblog e @BrunaPaivaC no Instagram

CLIQUE AQUI PARA VISITAR O ADOLESCENTE DEMAIS NO YOUTUBE

Anúncios